Analista aponta precariedade no mercado de trabalho

Arquivado em: Comércio, Indústria, Negócios, Serviços, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 30 de junho de 2021 as 18:30, por: CdB

O economista-chefe da MB Associados, Sérgio Vale, disse também que o crescimento da população desocupada, além do avanço de 2,1 pontos percentuais (12,6%) da taxa de desemprego em relação ao mesmo período de 2020, são indicativos “muito ruins” e “mostram a grande precariedade do mercado de trabalho atual”.

Por Redação – de São Paulo

A taxa de desemprego divulgada nesta quarta-feira (30) – que se manteve em 14,7% – indica estabilidade entre os meses de fevereiro e abril deste ano, mas os números ainda demonstram um retrospecto negativo em relação a 2020, segundo o economista-chefe da MB Associados, Sérgio Vale.

A falta de empregos atinge os brasileiros em todas as regiões do país

Em entrevista à rede norte-americana de TV CNN Rádio, ele avalia que havia uma expectativa de piora da taxa de desemprego entre fevereiro e abril, e que o dado estável é uma sinalização de que, a partir de uma recuperação leve da economia, a taxa de desemprego pode apresentar suave queda.

‘Muito ruins’

Porém, em relação ao desemprego chegar à casa de “um dígito”, e, portanto, diminuir significativamente, o economista afirma que é necessário um longo período de crescimento em ritmo forte da economia.

— Infelizmente, temos a impressão de que essa taxa de desemprego de dois dígitos, que nos acompanha há muito tempo, pode permanecer por anos — afirmou.

O economista disse também que o crescimento da população desocupada, além do avanço de 2,1 pontos percentuais (12,6%) da taxa de desemprego em relação ao mesmo período de 2020, são indicativos “muito ruins” e “mostram a grande precariedade do mercado de trabalho atual”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code