Aneel abre consulta pública para leiloar projetos de transmissão de energia

Arquivado em: Destaque do Dia, Energia, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 17 de dezembro de 2019 as 13:59, por: CdB

As licitações de empreendimentos de transmissão do Brasil têm atraído forte interesse nos últimos anos, com intensa concorrência e presença de empresas locais e internacionais, incluindo gigantes como a chinesa State Grid, a francesa Engie, a portuguesa EDP e a espanhola Iberdrola, por meio do braço local Neoenergia.

 

Por Redação, com Reuters – do Rio de Janeiro

 

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou em reunião nesta terça-feira a abertura de consulta pública para discutir o edital de um leilão de concessões para novos projetos de transmissão de energia agendado para 26 de junho de 2020. O certame irá oferecer a investidores contratos para a construção e futura operação de empreendimentos que demandarão aportes de cerca de R$ 2,1 bilhões.

A Eletrobras, maior empresa de energia do país, corre risco permanente de ser privatizada
A Eletrobras, responsável pela maior parte das linhas de transmissão de energia, corre risco permanente de ser privatizada

As licitações de empreendimentos de transmissão do Brasil têm atraído forte interesse nos últimos anos, com intensa concorrência e presença de empresas locais e internacionais, incluindo gigantes como a chinesa State Grid, a francesa Engie, a portuguesa EDP e a espanhola Iberdrola, por meio do braço local Neoenergia.

Instalações

Os projetos do leilão, o primeiro previsto para o ano de 2020, serão divididos em seis lotes, envolverão a implementação de novas linhas de transmissão em seis Estados— Amazonas, Ceará, Goiás, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul.

O prazo para entrega das instalações, definido para cada lote, irá variar de 36 a 60 meses. A minuta do edital com as regras da licitação receberá contribuições na consulta pública entre 20 de dezembro e 2 de fevereiro.

Transformação

Segundo a Aneel, o certame deverá viabilizar a construção de novas linhas de transmissão com um total de 300 quilômetros em extensão, além de subestações com 2.300 MVA em capacidade de transformação.

Um dos lotes (número 6) irá envolver, além da implementação de novas linhas, a incorporação pelo vencedor de ativos que estão sob operação da estatal Amazonas GT, da Eletrobras, com obrigação de investimento na revitalização das instalações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *