Anfavea quer política de governo para vender mais automóveis

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado sexta-feira, 5 de novembro de 2004 as 17:36, por: CdB

A  Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) visa chegar à meta de 2 milhões de veículos vendidos até o final de 2006. O objetivo é terminar este ano com um total de vendas internas de 1,540 milhão de veículos. Para 2005, a tendência é crescer até 8%. Para atingir estes números, as montadoras querem que o governo desenvolva uma política industrial específica para o setor e, com isso, obter condições para elevar as vendas de veículos no mercado interno.

Presidente da Anfavea, Rogelio Golfarb afirmou nesta sexta-feira que o setor automotivo precisa retornar para o nível de mercado interno de 1997, melhor ano para a indústria automobilística nas últimas décadas, para ampliar a competitividade no mercado internacional.

– Temos de disputar investimentos com países do Leste Europeu, com a China, Rússia e Índia que oferecem um retorno melhor do que a indústria brasileira. Temos os maiores juros e carga tributária do mundo. Não queremos prejudicar o superávit fiscal nem pedir algo que está fora do controle do governo, como a redução dos juros. Queremos uma política industrial de longo prazo – afirmou.

Para Golfarb, esta política precisaria adequar os juros de mercado ao poder aquisitivo da população.

– Precisamos de um mecanismo de financiamento que permita ao consumidor adquirir o produto. Mais de 70% de nossas vendas são financiadas. Nossa meta é proporcional à nossa necessidade. Para disputar investimentos com outros países, precisamos acelerar a política industrial – concluiu.