Antonio Ermírio diz que MST representa ‘baderna’

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado sexta-feira, 4 de julho de 2003 as 14:18, por: CdB

O presidente do grupo Votorantin, Antônio Ermírio de Moraes, criticou o tratamento que o presidente Lula tem dado ao Movimento dos Trabalhadores Sem-terra (MST) e declarou que o governo do PT está recebendo “o que plantou no passado”.

O empresário lembrou o fato de o líder José Rainha ter prometido criar um novo “Canudos” no Paranapanema e ressaltou que na ocasião morreram 20 mil pessoas. “É isso que ele quer? Uma nova revolução no Brasil?”, disse. “Tem sempre outra maneira de fazer a coisa, não é à base do gatilho”.

Sobre o fato de o presidente Lula ter colocado boné do MST na cabeça, o empresário afirmou que “deve ter sido um ato impensado” e que o MST representa exatamente o que o Brasil não precisa, ou seja, “baderna”.

“O boné a ser vestido pelo Brasil é o do emprego”. Ele disse que é preciso urgência e energia por parte do governo para evitar a instalação de uma revolução no país.

Antônio Ermírio participa do almoço comemorativo do prêmio “Melhores empresas” da revista Exame, e receberá das mãos do presidente Lula o prêmio de melhor empresa dos últimos 30 anos de premiação.

Quando questionado se faria tais críticas ao presidente, ele declarou “Se ele perguntar…”.