Apenas 1,8% dos brasileiros doam sangue

Arquivado em: Saúde, Últimas Notícias, Vida & Estilo
Publicado quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018 as 12:04, por: CdB

Para contribuir com os hemocentros, o cidadão precisa ter entre 18 a 69 anos, estar em boas condições de saúde e pesar no mínimo 50kg. Um doação pode salvar até quatro vidas

Por Redação, com ACS – de Brasília:

No começo de 2017, a pensionista Sinisia Rodrigues, 71 anos, recebeu uma transfusão após passar por um procedimento cirúrgico no Hospital de Base do Distrito Federal. “Estava fraca e tinha feito uma cirurgia, não estava me alimentando e acabei tendo anemia. Então o médico recomendou a transfusão de uma bolsa. Foi tranquilo, rápido, não senti reação nenhuma”, lembra.

No Brasil, 1,8% da população doa sangue, número que pode aumentar

Assim como Sinisia, anualmente, 3,5 milhões de pessoas no País têm a saúde restaurada graças à doação de sangue: apenas uma doação pode salvar até quatro vidas.

Doações do Brasil

No Brasil, 1,8% da população doa sangue, número que pode aumentar. A meta da Organização Mundial da Saúde (OMS) é que 3% da população seja doadora.

O sangue é utilizado em cirurgias, tratamentos de câncer, doenças crônicas e atendimento de urgência, sendo insubstituível nesses casos. No final de ano, porém, a quantidade de doações diminui devido às férias e viagens; e a demanda é ainda maior com o aumento de acidentes, como os de trânsito.

Passo a passo

Para contribuir com os hemocentros, o cidadão precisa ter entre 18 a 69 anos; estar em boas condições de saúde e pesar no mínimo 50kg. Não podem ser voluntários quem toma medicação controlada, tomou vacinas no último mês; fez tatuagens ou piercings nos últimos doze meses ou fez cirurgia nos últimos seis meses.

No dia do ato, o doador deve ter dormido no mínimo seis horas e não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas; estar bem alimentado e descansado. Para encontrar um ponto de doação mais próximo, o Ministério da Saúde disponibiliza uma lista com os hemocentros de todo o Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *