Apesar do desgaste, presidente adianta que pretende manter atuais ministros

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 16 de dezembro de 2019 as 16:26, por: CdB

Notícias veiculadas, no sábado, davam conta que Bolsonaro poderia trocar os ministros da Casa Civil (Onyx Lorenzoni), da Educação (Abraham Weintraub) e das Minas e Energia (Bento Alburquerque). Especificamente sobre o ministro da Educação, Bolsonaro afirmou que ele está garantido no cargo.

 

Por Redação – de Brasília

 

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira que manterá a atual equipe de ministros em 2020, mesmo diante do desgaste dos titulares em várias pastas, junto à população. Ao longo das últimas semanas, circularam notícias de uma possível reforma ministerial, a partir do ano que vem.

Jair Bolsonaro apagou publicação em rede social na qual mencionou Honda, L'Oreal e MWM
Jair Bolsonaro não se envergonha por atacar a memória de Paulo Freire, um dos pilares mundiais da educação

— Não está previsto mudar. É como perguntar se está previsto eu me separar da minha mulher, não está previsto — disse Bolsonaro a jornalistas na saída do Palácio da Alvorada, ao ser questionado sobre possíveis mudanças no ministério.

Intenção

O diário conservador paulistano Folha de S.Paulo publicou, no sábado, que Bolsonaro poderia trocar os ministros da Casa Civil (Onyx Lorenzoni), da Educação (Abraham Weintraub) e das Minas e Energia (Bento Alburquerque). Segundo o jornal, as mudanças iriam ocorrer até fevereiro. Especificamente sobre o ministro da Educação, Bolsonaro afirmou que ele está garantido no cargo.

— De acordo com as críticas que ele sofre, por exemplo, o Weintraub, de acordo com os jornalistas que o criticaram, eu disse: ‘Weintraub, você não sai mais daí’ — diz ele.

Bolsonaro já havia negado intenção de realizar reforma ministerial, há algumas semanas, após o site Vortex publicar que o presidente tinha decidido trocar os ministros Weintraub, Onyx e também o titular do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.