Após alta, dólar recua frente ao real

Arquivado em: Negócios, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 28 de agosto de 2019 as 11:26, por: CdB

Às 9:08, o dólar recuava 0,34%, a R$ 4,1439 na venda. Na véspera, o dólar subiu 0,45%, a R$ 4,1581 na venda, maior patamar desde 14 de setembro de 2018.

Por Redação, com Reuters – de São Paulo

O dólar se desvalorizava contra o real nos primeiros negócios desta quarta-feira, em sessão marcada pela atuação do Banco Central, um dia depois de a autoridade monetária ter atuado no mercado com venda de dólar pela primeira vez desde 2009.

Às 9:08, o dólar recuava 0,34%, a R$ 4,1439 na venda. Na véspera, o dólar subiu 0,45%, a R$ 4,1581 na venda, maior patamar desde 14 de setembro de 2018.

O dólar saltou 9,4% ante o real em agosto, a caminho da maior valorização mensal desde julho de 2015
O dólar saltou 9,4% ante o real em agosto, a caminho da maior valorização mensal desde julho de 2015

Neste pregão, o dólar futuro tinha alta de 0,25%.

O BC anunciou para esta quarta-feira oferta de US$ 550 milhões em dólar à vista conjugada com swaps reverso e tradicional.

Adicionalmente, disponibilizará até US$ US$ 1,5 bilhão em linhas de dólares com compromisso de recompra, em operação que visa rolar parte dos 3,8 bilhões de dólares vincendos em 4 de setembro nessa modalidade.

Ibovespa recua

A bolsa paulista mostrava um viés mais negativo nos primeiros negócios desta quarta-feira, em meio a um cenário misto no ambiente financeiro internacional, onde permanecem preocupações com o risco de recessão da economia global. Às 10:03, o Ibovespa .BVSP caía 0,18 %, a 97.100,06 pontos.

Alta do dólar

Na terça-feora, o dólar acelerava a alta contra o real nesta terça-feira, superando R$ 4,18 pela primeira vez desde setembro de 2018, com as compras ganhando força após o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, dizer que a recente desvalorização da taxa de câmbio está dentro do padrão normal.

– O real nos últimos dias tem tido desvalorização um pouquinho acima, mas está bem dentro do padrão normal – disse ele em audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal.

Para analistas, a fala de Campos Neto sinaliza que o BC pode não atuar de forma adicional para conter a depreciação do real.

– Ele (Roberto Campos Neto) fez o mercado piorar com isso – disse um gestor.

Nos últimos dias, cresceu o coro de analistas questionando a postura conservadora do BC no câmbio, percepção que segundo operadores tem dando mais força ao dólar, cuja razão primeira tem sido a incerteza externa.

O dólar estava cotado a 4,1596 reais na venda antes da fala de Campos Neto e no mesmo minuto saltou para R$ 4,1715, alcançando uma máxima de R$ 4,1830 na venda. Na compra, a máxima foi de 4,1818 reais, maior nível intradia desde 17 de setembro de 2018 (R$ 4,2033 na compra).

Às 12h41, a cotação no mercado à vista subia 0,88%, a R$ 4,1771 na venda.

O dólar saltou 9,4% ante o real em agosto, a caminho da maior valorização mensal desde julho de 2015, quando disparou 10,16%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *