Apple e Amazon são criticadas por citarem Taiwan e Hong Kong de forma incorreta

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tablet & Celulares, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 17 de janeiro de 2019 as 13:11, por: CdB

Pequim considera a autônoma Taiwan como uma província rebelde da China e a ex-colônia britânica de Hong Kong voltou ao controle chinês em 1997 e funciona como um território semi-autônomo.

Por Redação, com Reuters – de Washington

Um dos principais centros de estudos ligados ao governo chinês criticou a Apple, Amazon e outras companhias estrangeiras por não se referirem a Hong Kong e Taiwan como parte da China em um relatório que gerou uma dura reação de Taipei.

Pessoas caminham em frente a uma loja da Apple em Pequim

A Academia Chinesa de Ciências Sociais disse em um relatório neste mês que 66 das 500 maiores companhias do mundo usaram “rótulos incorretos” para Taiwan e 53 tinham erros no modo como se referiram a Hong Kong, segundo o jornal chinês Legal Daily. A organização disse que 45 companhias se referiam a ambos os territórios de forma incorreta.

Pequim considera a autônoma Taiwan como uma província rebelde da China e a ex-colônia britânica de Hong Kong voltou ao controle chinês em 1997 e funciona como um território semi-autônomo.

No ano passado, a China intensificou a pressão sobre companhias estrangeiras, incluindo Marriott e Qantas, por se referirem a Taiwan e Hong Kong como separadas da China em sites e outros materiais.

O relatório foi co-escrito pela academia de Ciências Sociais e por um instituto de desenvolvimento de pesquisas na internet da Universidade de Pequim. Uma autoridade do instituto disse à Reuters que o relatório ainda não foi publicado abertamente e não quis fornecer uma cópia.

Um porta-voz do presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, disse que Taiwan não cederá à pressão chinesa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *