Apple corta previsão de receita trimestral

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tablet & Celulares, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 3 de janeiro de 2019 as 10:33, por: CdB

Esta foi a primeira vez que a Apple emitiu um alerta sobre sua previsão de receita antes de divulgar os resultados trimestrais desde o lançamento do iPhone em 2007.

Por Redação, com Reuters – de São Francisco

A Apple cortou previsão trimestral de vendas na noite da véspera e o presidente-executivo da companhia, Tim Cook, afirmou que a nova estimativa deve-se a uma desaceleração de vendas do iPhone na China, cuja a economia tem sido afetada por incerteza em torno das relações comerciais entre Pequim e Washington.

A notícia fez as ações Apple recuarem e pressionava papéis de fornecedores da empresa na Ásia e provocava vendas generalizadas nos mercados globais

A Apple reduziu a previsão de receita para US$ 84 bilhões para o trimestre fiscal encerrado em 29 de dezembro, nível abaixo da estimativa de analistas de US$ 91,5 bilhões, segundo dados da Ibes, da Refinitiv. A previsão inicial da companhia era de receita entre US$ 89 bilhões e US$ 93 bilhões para o período.

Esta foi a primeira vez que a Apple emitiu um alerta sobre sua previsão de receita antes de divulgar os resultados trimestrais desde o lançamento do iPhone em 2007.

A notícia fez as ações Apple recuarem e pressionava papéis de fornecedores da empresa na Ásia e provocava vendas generalizadas nos mercados globais.

A queda de receita no trimestre encerrado ressalta como a desaceleração econômica na China tem sido mais acentuada do que muitos esperavam, desestabilizando empresas e líderes em Pequim, além de forçar alguns participantes a reajustar seus planos no mercado.

– Embora tenhamos antecipado alguns desafios nos principais mercados emergentes, não previmos a magnitude da desaceleração econômica, particularmente na China – disse Cook, em mensagem a investidores.

A Apple encontra-se em uma posição difícil na China, que é um mercado importante para as vendas e onde a companhia produz a maior parte dos produtos que vende no mundo, após a prisão da vice-presidente financeira da Huawei Technologies no Canadá.

Desde a prisão da executiva a pedido dos Estados Unidos no mês passado, houve relatos esporádicos de que consumidores chineses estavam evitando consumir produtos da Apple. Mesmo antes disso, concorrentes locais, como a própria Huawei, vinham ganhando mais espaço no mercado em relação à Apple.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *