Apple pede a desenvolvedores que coloquem seu botão de login acima de Google e Facebook

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Redes Sociais, Tablet & Celulares, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 5 de junho de 2019 as 10:37, por: CdB

A mudança para dar o posicionamento principal para a Apple é significativa porque os usuários geralmente selecionam a opção padrão ou a superior nos aplicativos.

Por Redação, com Reuters – de Nova York

A Apple pedirá aos desenvolvedores que adicionem o recurso “faça login com a Apple” em aplicativos para iPhone e iPad, acima dos botões rivais do Google e do Facebook, segundo diretrizes de design divulgadas esta semana.

A Apple pedirá aos desenvolvedores que adicionem o recurso “faça login com a Apple”

A mudança para dar o posicionamento principal para a Apple é significativa porque os usuários geralmente selecionam a opção padrão ou a superior nos aplicativos. E a Apple exigirá que os aplicativos ofereçam seu botão se quiserem oferecer opções de login no Facebook ou no Google.

A Apple revelou seu botão de login na segunda-feira, enfatizando a privacidade dos usuários e também introduzindo um recurso que gera aleatoriamente um endereço de email para evitar revelar o verdadeiro email da pessoa.

Muitos consumidores optam por fazer login em aplicativos independentes usando suas contas do Google ou do Facebook, pois isso evita o trabalho de criar e lembrar nomes de usuário e senhas separadas para dezenas de aplicativos diferentes.

Botões de login

Mas os botões de login podem enviar alguns dados de volta aos seus criadores sobre os hábitos do aplicativo do usuário. O chefe de software da Apple, Craig Federighi, disse durante uma palestra na segunda-feira que a Apple está procurando dar aos usuários uma opção mais privada e dar aos desenvolvedores um login rápido sem enviar os dados de seus usuários para outra empresa.

Em um comunicado à imprensa sobre atualizações em suas diretrizes de revisão da App Store, a Apple disse que seu botão de login “será necessário como uma opção para usuários em aplicativos que suportam o login de terceiros quando estiver disponível comercialmente ainda este ano”.

Facebook

Líderes de fundos de pensão do setor público pediram na terça-feira a separação dos cargos de presidente do conselho e presidente-executivo do Facebook, ambos ocupadas pelo cofundador Mark Zuckerberg, citando uma votação que mostrou um forte apoio para a ideia entre investidores externos na maior empresa de mídia social do mundo.

– A direção isolada do Facebook deve ser aberta porque a empresa não tem responsabilidade com seus usuários, seus investidores ou nossa democracia – disse Scott Stringer, autoridade financeira da cidade de Nova York, em comunicado enviado por email.

Em uma declaração separada, Michael Frerichs, tesoureiro do Estado de Illinois, disse que “os investidores independentes do Facebook concordam que é hora de separar as funções de presidente do conselho e presidente-executivo. No momento, Zuckerberg é os dois, servindo como seu próprio patrão e claramente não está funcionando”.

Um representante do Facebook se recusou a comentar as observações, ou em comentários semelhantes feitos pelos tesoureiros de Connecticut, Rhode Island e Pensilvânia.

Stringer e Frerichs supervisionam fundos de pensão que possuem ações do Facebook e estão entre um grupo de investidores que entraram com uma resolução de acionistas pedindo que o Facebook tenha um comando independente no conselho de administração como forma de melhorar a supervisão.

O Facebook se opôs à ideia em sua reunião anual realizada na semana passada, dizendo que seu principal diretor independente já pode representar todos os interesses dos acionistas.

É improvável que a reforma passe, porque Zuckerberg e outros membros internos controlam 58% do poder de voto do Facebook por meio de uma classe especial de ações com 10 vezes o poder de voto das ações padrão.

Mas os resultados da votação divulgados na noite de segunda-feira mostraram que, excluindo as cerca de 4 bilhões de ações mantidas por Zuckerberg e outros membros internos, a medida que pede uma cadeira independente teria recebido apoio de 68% dos investidores externos.

Os números de segunda-feira também indicaram que a maioria dos investidores externos votou contra as recomendações do Facebook sobre outras questões, incluindo propostas para reformular as regras de votação da empresa e com que frequência devem votar sobre o pagamento de Zuckerberg e outros diretores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *