Apple diz que não há evidências de que falha em iPhone foi usada contra usuários

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tablet & Celulares, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 24 de abril de 2020 as 12:19, por: CdB

A Apple não encontrou evidências de que uma falha em seu aplicativo de email para iPhone e iPad tenha sido usada contra usuários dos aparelhos e que acredita que a falha não representa um risco imediato.

Por Redação, com Reuters – de São Francisco/Washington

A Apple não encontrou evidências de que uma falha em seu aplicativo de email para iPhone e iPad tenha sido usada contra usuários dos aparelhos e que acredita que a falha não representa um risco imediato.

Apple diz que não há evidências de que falha em iPhone foi usada contra clientes
Apple diz que não há evidências de que falha em iPhone foi usada contra clientes

A empresa de segurança ZecOps detalhou na quarta-feira uma falha que, segundo ela, pode ter deixado mais de meio bilhão de iPhones vulneráveis a hackers.

Zuk Avraham, presidente-executivo da ZecOps, disse à Reuters que encontrou evidências de que a vulnerabilidade foi explorada em pelo menos seis ataques cibernéticos. À agência inglesa de notícias Reuters não conseguiu verificar independentemente a afirmação.

A Apple reconheceu na quarta-feira a vulnerabilidade existente no aplicativo Mail, e disse que desenvolveu uma correção que será introduzida em uma atualização futura para milhões de dispositivos.

A Apple contestou

Na quinta-feira, a Apple contestou as evidências de Avraham de que a falha foi usada contra usuários do iPhone.

“Investigamos minuciosamente o relatório do pesquisador e, com base nas informações fornecidas, concluímos que esses problemas não representam um risco imediato para nossos usuários”, afirmou a Apple em comunicado.

“O pesquisador identificou três questões no Mail, mas, por si só, são insuficientes para passar pelas proteções de segurança do iPhone e iPad, e não encontramos evidências de que elas foram usadas contra os clientes.”

Avraham não respondeu imediatamente a um pedido de comentário sobre a declaração da Apple.

Google

O Google, da Alphabet anunciou na quinta-feira que todos os anunciantes precisam concluir processo de verificação antes de comprar espaço publicitário em sua plataforma a partir do verão do Hemisfério Norte, numa tentativa de tornar suas práticas de publicidade mais transparentes.

Os anunciantes precisarão enviar documentos de identificação pessoal e incorporação de negócios que provar quem são e o país em que operam, informou a empresa em um post.

Até o momento, o Google exigia verificação de identidade apenas para anunciantes políticos que exibiam anúncios eleitorais em sua plataforma.

Um processo de verificação também é frequentemente usado para filtrar anunciantes de baixa qualidade, como os que tentaram vender máscaras médicas falsas durante a pandemia de coronavírus.

A empresa disse que começará a verificação dos anunciantes em fases nos Estados Unidos, continuará a expandir globalmente, e espera que o processo demore alguns anos para ser concluído.

O Google disse que, com isso, os usuários poderão visualizar informações sobre o anunciante por trás dos anúncios que veem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code