Apple diz que sistema tributário corporativo precisa ser reformulado

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Redes Sociais, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 20 de janeiro de 2020 as 11:47, por: CdB

As reformas em análise estão centradas na contabilização de lucros por multinacionais em países com baixos impostos, como a Irlanda, onde tais empresas possuem bases, e de onde Cook falou nesta segunda-feira.

Por Redação, com Reuters – de Dublin/Rangum

Todo mundo sabe que o sistema tributário corporativo global precisa ser reformulado, disse o presidente-executivo da Apple, Tim Cook, nesta segunda-feira, apoiando mudanças nas regras sobre impostos que estão sendo consideradas atualmente.

Presidente-executivo da Apple, Tim Cook
Presidente-executivo da Apple, Tim Cook

O crescimento de gigantes da Internet, como a Apple, levou as regras tributárias internacionais ao limite, fazendo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) buscar reformas globais sobre onde as multinacionais devem ser tributadas.

As reformas em análise estão centradas na contabilização de lucros por multinacionais em países com baixos impostos, como a Irlanda, onde tais empresas possuem bases, e de onde Cook falou nesta segunda-feira, e não onde está a maioria de seus clientes.

– Acho que logicamente todo mundo sabe que precisa ser reformulado. Eu certamente seria a última pessoa a dizer que o sistema atual ou o sistema passado era o sistema perfeito. Estou esperançoso e otimista de que eles (a OCDE) encontrem algo – disse Cook.

– É muito complexo saber tributar uma multinacional…queremos desesperadamente que seja justo – acrescentou o presidente-executivo da Apple após receber um prêmio que reconhece a contribuição das multinacionais no Irlanda pela agência estatal responsável por atrair empresas estrangeiras para o país.

A Apple é uma das maiores empregadoras da Irlanda, com seis mil funcionários no país, e tanto a empresa, quanto o governo irlandês tentam combater uma ordem da União Europeia para que a Apple pague 13 bilhões de euros em impostos atrasados para Dublin.

Leis de privacidade

O presidente-executivo da Apple também disse que é necessária mais regulamentação na área de privacidade e deve ir além das leis de privacidade do Regulamento Geral de Proteção de Dados da Europa (GDPR) de 2018, que entregaram aos reguladores poderes significativamente maiores.

– Acho que é necessária mais regulamentação nessa área, provavelmente é estranho para uma pessoa de negócios falar sobre regulamentação, mas ficou claro que as empresas não se autopoliciam nessa área – disse.

– Fomos um dos primeiros a endossar o GDPR, achamos que é extremamente bom, não apenas para a Europa. Achamos que é necessário, mas não suficiente. Você precisa ir mais longe e isso é necessário para que a privacidade volte ao lugar em que deveria estar.

Facebook

O Facebook culpou um erro técnico no sábado pelo fato de o nome do líder chinês Xi Jinping ter aparecido como “Sr. Shithole” em postagens em sua plataforma quando traduzido de birmanês para o inglês, e pediu desculpas por qualquer ofensa causada.

O erro veio à tona no segundo dia de uma visita do presidente chinês a Mianmar, onde Xi e a conselheira Aung San Suu Kyi assinaram dezenas de acordos sobre grandes planos de infraestrutura apoiados por Pequim.

Um comunicado sobre a visita publicado na página oficial de Suu Kyi no Facebook estava repleta de referências ao “Sr. Shithole” quando traduzida para o inglês, enquanto uma manchete no jornal local Irrawaddy apareceu como “Jantar em homenagem ao presidente shithole”.

Não ficou claro quanto tempo durou o problema, mas a função de tradução do Google não mostrou o mesmo erro.

“Corrigimos um problema técnico que causava traduções incorretas do birmanês para o inglês no Facebook. Isso não deveria ter acontecido e estamos tomando providências para garantir que isso não aconteça novamente. Pedimos sinceras desculpas pela ofensa que isso causou”, disse o Facebook em nota.

O sistema do Facebook não tinha o nome do presidente Xi Jinping em seu banco de dados birmanês e adivinhou a tradução, disse a empresa. Testes de tradução de palavras semelhantes que começam com “xi” e “shi” em birmanês também produziram “shithole”, acrescentou.

O Ministério das Relações Exteriores da China não quis comentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *