Arquitetura carioca é inspiração para 205 mil estudantes no Cineclube nas Escolas

Arquivado em: Destaque do Dia, Educação, Ensino Médio, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 24 de abril de 2019 as 13:22, por: CdB

O desafio dos alunos é criar trabalhos audiovisuais dentro do tema “Rio Todo (em) prosa”.

Por Redação, com ACS – de Rio de Janeiro

A arquitetura da cidade do Rio de Janeiro vai inspirar a produção de curtas, ilustrações e materiais fotográficos produzidos por estudantes da Rede Municipal de Ensino na 11ª edição do Cineclube nas Escolas. O desafio dos alunos é criar trabalhos audiovisuais dentro do tema “Rio Todo (em) prosa”. O projeto, uma iniciativa da Gerência de Leitura da Secretaria Municipal de Educação (SME), reúne 205 mil alunos de 394 unidades.

Prêmio de Capital Mundial da Arquitetura motivou escolha do tema

Carla Celestino, gerente de leitura da SME, diz que cineclubes podem derrubar barreiras invisíveis aos estudantes:

– Em cada canto do Centro e Zonas Sul, Norte e Oeste há histórias para contar. Ao produzir os filmes e analisar com eles essa temática, os professores garantem a missão de ajudar a despertar o sentimento de pertencimento em seus alunos.

Com auxílio dos professores, os estudantes vão colocar a imaginação para funcionar e criar ilustrações, fotos, prosas e vídeos ao longo do ano sobre a valorização da memória cultural e a importância do Rio no contexto nacional. A experiência poderá virar um livro.

Prêmio de Capital Mundial da Arquitetura motivou escolha do tema

No lançamento da atual edição do programa educativo, na semana passada, a SME apresentou a ação para 100 educadores, que também assistiram ao documentário “São Sebastião do Rio de Janeiro, A formação de uma cidade”, da cineasta Juliana de Carvalho, no Centro Cultural João Nogueira, no Méier.

– Qualquer pessoa com um celular pode produzir um filme. Os alunos do cineclube podem observar e expressar sua visão particular sobre o seu bairro e produzir um filme lindíssimo. O audiovisual e a Educação têm uma ligação estreita e importante no desenvolvimento desses garotos e garotas cada vez mais conectados – destaca Fátima Paes, coordenadora de investimentos da RioFilme, distribuidora cinematográfica da Prefeitura do Rio.

A escolha do tema deste ano foi feita em parceria com o Comitê Executivo da União Internacional de Arquitetos (UIA), após o Rio ter sido eleito pela Unesco, em 2019, a primeira Capital Mundial da Arquitetura. A cidade sediará, em 2020, o Congresso Mundial de Arquitetura.

– O patrimônio que temos é muito particular, tal como o território ocupado. É bom ver que os alunos das escolas do Rio estão sendo motivados a conhecer e valorizar onde moram. Isso ajuda a tornar esses espaços mais acessíveis e mudar o processo de exclusão das populações – afirma o arquiteto urbanista Pedro Luz, representante do Comitê Executivo da UIA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *