Assalto termina com tiros em shopping da Barra da Tijuca

Arquivado em: Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 9 de agosto de 2018 as 14:43, por: CdB

Durante a fuga, os bandidos dispararam duas vezes em uma porta e ainda roubaram uma moto no estacionamento. Os seguranças do centro comercial não reagiram à ação dos suspeitos

Por Redação, com agências de notícias – do Rio de Janeiro

Uma loja de celulares foi assaltada em um shopping da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, na noite anterior. Os suspeitos levaram todos os celulares da vitrine da loja.

Uma loja de celulares foi assaltada em um shopping da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, na noite anterior

Durante a fuga, os bandidos dispararam duas vezes em uma porta e ainda roubaram uma moto no estacionamento. Os seguranças do centro comercial não reagiram à ação dos suspeitos.

Os tiros assustaram as pessoas que estavam no local, mas não houve feridos. O caso foi encaminhado para a 16ª DP (Barra da Tijuca), onde funcionários da loja e a equipe de segurança do shopping prestaram depoimento durante a noite.

Armas apreendidas

A prefeitura de Niterói, na região metropolitana do Rio, preparou um projeto com uma série de medidas para tentar reduzir a violência no município. O Pacto Niterói contra a Violência engloba 17 ações e tem custo estimado de R$ 304 milhões em dois anos.

Entre as propostas está premiar policiais por cada arma apreendida das mãos de criminosos. Um fuzil apreendido, por exemplo, renderá um prêmio de R$ 8 mil para o policial que fizer a apreensão. Pistolas e granadas valerão R$ 3 mil.

Segundo a prefeitura de Niterói, para evitar que a premiação resulte em ações violentas da polícia alguns requisitos terão de ser preenchidos. O dinheiro não será pago, por exemplo, se a ação envolver morte ou lesão corporal grave ao suspeito com quem estaria a arma.

Além disso, há outras ações voltadas para a prevenção da violência, como o combate à evasão escolar, o apoio psicológico às crianças e o acompanhamento de famílias, já que foram constatados vários casos de agressão doméstica.

O programa é fruto de seis meses de trabalho, que envolveu pesquisa com moradores, análise de indicadores criminais e reuniões com técnicos da prefeitura, sociedade civil, pesquisadores e também do Gabinete de Intervenção Federal.

O plano será encaminhado, por meio de projeto de lei, para ser votado pela Câmara Municipal de Niterói. De acordo com o Instituto de Segurança Pública, órgão de pesquisa da Secretaria Estadual de Segurança, foram registrados 56 homicídios no município no primeiro semestre do ano, cinco a mais do que no mesmo período de 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *