Assessor de Lula defende julgamento em Tribunal Internacional para Saddam

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado domingo, 14 de dezembro de 2003 as 20:02, por: CdB

O assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, defendeu que Saddam Hussein, capturado neste domingo pelas tropas americanas no Iraque, seja julgado num pelo Tribunal Penal Internacional, do qual o Brasil faz parte.

Marco Aurélio disse que a captura de Saddam Hussein representa uma vitória das forças da coalizão militar, mas que espera que o episódio apresse a saída das tropas de ocupação e a entrega definitiva do país ao povo iraquiano. Ele lembrou que a indefinição sobre o paradeiro de Saddam era um argumento freqüente dos americanos para manter as tropas no Iraque.

– A prisão de Saddam deverá apressar o processo de normalização do Iraque. Espero que impulsione esse processo, eliminando um fator que tinha sido freqüentemente invocado para justificar uma presença militar mais prolongada – disse Garcia, depois de ter participado da reunião do diretório nacional do PT.

Para Garcia, o julgamento de Saddam poderá criar um problema jurídico internacional interessante.

– É possível que as tropas de ocupação queiram fazer processo semelhante ao que fizeram depois da segunda guerra mundial, um tribunal especial para crimes de guerra, que julgaria ou Saddam Hussein sozinho ou outros membros do governo – disse Garcia.