Associação das Vítimas do Palace II consegue impedir leilão do terreno

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado terça-feira, 3 de junho de 2003 as 17:08, por: CdB

Atendendo a ação da Associação das Vítimas do Edifício Palace II, o juiz Antônio Carlos Esteves Torres, da 4ª Vara de Falência e Concordata, decidiu sustar o leilão do terreno onde ficava o prédio, que desabou na noite do dia 22 de fevereiro de 1998, matando oito pessoas e deixando centenas de famílias que residiam no local desabrigadas.

No despacho, o juiz limita-se a afirmar que a “hasta pública foi suspensa em razão da existência de diversos pontos carentes de esclarecimentos no processo”.

Ao justificar o pedido de sustação da venda do terreno, a presidente da Associação das Vítimas do Palace, Rauliete Barbosa Guedes, lembra que, apesar do número excessivo de bens do ex-deputado Sérgio Naya – dono da construtora – leiloados até agora, somente dois moradores e nove visitantes de um apartamento foram indenizados, passados mais de cinco anos do desabamento.

Rauliete Guedes diz que traz muita insegurança para os moradores do Palace II deixar vender um único patrimônio, em que têm uma parte, avaliado em cerca de R$ 5 milhões para pagar R$ 50 milhões, que é a dívida dele para os moradores.