Atentado pode ter matado procurador venezuelano

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado sexta-feira, 19 de novembro de 2004 as 07:21, por: CdB

Um atentado com explosivos que destruiu uma caminhonete, na noite de quinta-feira, em Caracas, provavelmente matou o procurador dos casos políticos na Venezuela, Danilo Anderson, informou o ministro da Informação, Andrés Izarra.

O ministro disse que duas explosões induzidas destruíram o veículo e que existem elementos que permitem pensar que se trata do procurador Anderson.

O atentado aconteceu por volta da meia-noite local (2h de Brasília) na região de Los Chaguaramos, sudeste de Caracas.

– Uma caminhonete, provavelmente de propriedade de Danilo Anderson, vinha da Universidade Bolivariana, pela rua Ciências de los Chaguaramos, quando aconteceram duas explosões consecutivas e caminhonete se chocou contra uma loja. – contou o ministro.

– O cadáver ficou totalmente calcinado, há alguns elementos dentro do carro que nos fazem pensar que é ele, mas ainda não podemos comprovar se efetivamente é o procurador Anderson. – disse.

O presidente Hugo Chávez, que se preparava para viajar para a Costa Rica para participar da Cúpula Ibero-Americana, tomou conhecimento do caso e desistiu da viagem.

O procurador-geral Isaías Rodríguez disse que o ato foi um atentado contra essa instituição, que será investigado por todo o corpo da procuradoria.

Danilo Anderson ganhou destaque ao investigar os casos políticos da Venezuela, especialmente os que cercaram o golpe de Estado de 12 de abril de 2002, que afastou Chávez do poder por 47 horas.

Também investigou os chamados pistoleiros da Ponte Llaguno, caso em que oficiais foram acusados pela oposição, com vídeos, de abrir fogo contra uma manifestação contrária ao governo no dia 11 de abril.