Atentado suicida em sede da comissão eleitoral deixa mortos e feridos na Líbia

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 2 de maio de 2018 as 11:07, por: CdB

A sede foi desalojada com rapidez e as forças de segurança perseguiram os assaltantes pelas ruas, acrescentou Omar sem revelar mais detalhes sobre detalhes da perseguição

Por Redação, com EFE – de Trípoli:

Pelo menos sete pessoas morreram e várias ficaram feridas nesta quarta-feira, em um atentado supostamente suicida cometido na sede da Comissão Eleitoral em Trípoli, informaram à Agência EFE fonte oficial.

Atentado suicida em sede da comissão eleitoral deixa mortos

No ataque, que aconteceu no começo desta manhã, morreram 3 membros da equipe que preparava os próximos pleitos legislativos e presidenciais e quatro agentes de segurança do edifício, disse Khaled Omar, porta-voz da comissão.

Segundo testemunhas, o atentado aconteceu durante uma tentativa de ataque ao edifício por parte de um grupo armado, que desencadeou um enorme incêndio visível no centro da cidade.

– Os guardas de segurança que cuidavam da entrada iniciaram um tiroteio com os agressores que durou vários minutos. Aconteceu uma forte explosão no meio do ataque – explicou um testemunha que preferiu não ser identificada.

A sede foi desalojada com rapidez e as forças de segurança perseguiram os assaltantes pelas ruas, acrescentou Omar sem revelar mais detalhes sobre detalhes da perseguição.

Até o momento nenhum grupo assumiu a autoria do ataque, o primeiro desta natureza que ocorre em meses na capital líbia.

A Comissão Eleitoral Líbia é um corpo formado pela ONU que tem como principal função registrar os líbios; que desejam votar nas próximas eleições presidenciais e legislativas, para as quais ainda não há data concreta.

Analistas locais e internacionais acreditam, no entanto, que é possível realizar a consulta a curto prazo; e duvidam da efetividade ao lembrar que em 2014; com uma situação de segurança mais propícia, apenas 630 mil pessoas votaram, 10% da população líbia.

Síria

Bombardeios realizados por aviões não identificados contra a cidade de Al Qasr; controlada pelo grupo Estado Islâmico (EI) na província de Al Hasakah; no nordeste da Síria, matou pelo menos 23 civis, entre eles 10 crianças.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos informou que não sabe se os aviões são do Iraque ou da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos. A cidade fica no sul da província.

A maioria das vítimas são pessoas de idade avançada e pertecentes a duas famílias; indicou o Observatório. Segundo a ONG, o número de mortos pode aumentar devido à gravidade dos feridos.

A região bombardeada hoje é habitada por deslocados iraquianos; assim como sírios que fugiram durante a ofensiva contra a província de Deir ez Zor; também no nordeste do país.

No último dia 19 de abril, o Exército do Iraque disse; que bombardeios realizados por aviões do país na Síria causaram a morte de 36 membros do EI; entre eles vários líderes do grupo.

O ataque coincide com o anúncio do lançamento da fase final da ofensiva “Tempestade de Al Yazira”; liderada pelas Forças da Síria Democrática (FSD); uma aliança armada integrada por milícias curdas e pela coalizão internacional comandada pelos EUA.

O sul de Al Hasakah e uma parte do nordeste de Deir ez Zor, assim como parte da fronteira da Síria e Iraque, continua sob controle dos extremistas do EI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *