Ativistas que invadiram campo na final da Copa são detidos por novas acusações

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 31 de julho de 2018 as 11:49, por: CdB

A invasão do principal estádio de Moscou na presença do presidente russo, Vladimir Putin, e de outras importantes autoridades representou uma rara falha de segurança durante as semanas em que a Rússia sediou o torneio de futebol

Por Redação, com Reuters – de Moscou:

Quatro integrantes do grupo de protesto russo Pussy Riot que foram presos por 15 dias por invadirem o campo na final da Copa do Mundo da Rússia foram detidos novamente após serem soltos na segunda, disse seu advogado nesta terça-feira.

Ativistas do grupo de protesto russo Pussy Riot deixam centro de detenção em Moscou, na Rússia

Os membros do grupo enfrentam novas acusações por realizarem um evento público sem autorização prévia, infração que prevê pena de até 10 dias de prisão ou multa de até 30 mil rublos (US$ 481,21), reportaram agências de notícias russas.

O advogado do grupo, Nikolai Vasilyev, disse que a polícia ainda não havia autorizado o acesso aos materiais do caso, e que ele era incapaz de confirmar as acusações que seus clientes enfrentam, ou quando um audiência será realizada.

Os ativistas interromperam brevemente a final da Copa do Mundo no dia 15 de julho quando invadiram o campo vestindo uniformes policiais, em 15 de julho.

A invasão do principal estádio de Moscou na presença do presidente russo, Vladimir Putin, e de outras importantes autoridades representou uma rara falha de segurança durante as semanas em que a Rússia sediou o torneio de futebol.

O grupo disse que o ato tinha como objetivo promover a liberdade de expressão e condenar políticas da Fifa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *