Atleta indígena busca classificação para Olimpíadas, no arco e flexa

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado sábado, 4 de maio de 2024 as 15:19, por: CdB

Graziela Santos quer ser a primeira mulher indígena a competir pelo Brasil nos Jogos Olímpicos. Mas para ela, a ida a Paris seria mais do que apenas a realização de um sonho pessoal. Seria também uma premiação para um projeto de desenvolvimento na Amazônia que apoia jovens atletas indígenas.

Por Redação, com DW – de Maricá, RJ

A arqueira brasileira Graziela Santos é uma atleta fora do comum.

— Sou a primeira mulher indígena na equipe brasileira de tiro com arco. Esse é um marco histórico para todos nós — comemorou.

graziela santos,arco e flexa
A arqueira Graziela Santos, ou Yaci, como é chamada na sua aldeia, é uma atleta de alto rendimento

Graziela Santos quer ser a primeira mulher indígena a competir pelo Brasil nos Jogos Olímpicos. Mas para ela, a ida a Paris seria mais do que apenas a realização de um sonho pessoal. Seria também uma premiação para um projeto de desenvolvimento na Amazônia que apoia jovens atletas indígenas.

Quando Graziela Santos soube do projeto da Fundação Amazônia Sustentável (FAS), ela ainda estava na escola.

— Era uma viagem de barco de cinco horas da aldeia onde morávamos até Manaus. Naquela época, havia apenas uma escola primária — lembra a atleta brasileira, em entrevista à agência alemã de notícias Deutsche Welle (DW), neste sábado.

 

Yaci

A arqueira soube que a FAS estava montando um projeto de arco e flecha e procurava talentos interessados.

— Esse esporte vem da nossa cultura antiga, porque usamos arcos e flechas há muito tempo — ressaltou.

Agora, aos 28 anos, ela integra a equipe brasileira de tiro com arco e treina no Centro de Treinamento de Tiro com Arco em Maricá, no Estado do Rio de Janeiro. Santos pertence à etnia Karapanã e vem da comunidade Nova Kuanã, localizada às margens do Rio Cuieiras, a cerca de 80 quilômetros de Manaus. Na língua indígena, ela é chamada de Yaci (Lua). Atualmente, cerca de 1,7 milhão de indígenas vivem no Brasil, o que corresponde a 0,8% da população total. Seu irmão Gustavo Santos também é membro da equipe brasileira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *