Austrália ordena retirada em massa por aumento de incêndios

Arquivado em: Manchete, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 9 de janeiro de 2020 as 10:18, por: CdB

Autoridades da Austrália ordenaram uma nova retirada de moradores no sudeste do país nesta quinta-feira, uma vez que a volta do clima quente aumentou incêndios florestais.

Por Redação, com Reuters – de Sydney

Autoridades da Austrália ordenaram uma nova retirada de moradores no sudeste do país nesta quinta-feira, uma vez que a volta do clima quente aumentou incêndios florestais gigantescos que ameaçam várias cidades e comunidades.

Canguru machucado em área queimada por incêndio florestal na Austrália
Canguru machucado em área queimada por incêndio florestal na Austrália

O premiê do Estado de Vitória, Daniel Andrews, exortou as comunidades a ficarem em alerta antes da chegada das condições climáticas extremas.

– Se vocês receberem instruções para partir, têm que partir – disse Andrews em um briefing televisionado. “Essa é a única maneira de garantir sua segurança”.

Partes da Ilha Canguru, destino turístico do litoral sudeste rico em vida selvagem em que o primeiro-ministro, Scott Morrison, pediu na quarta-feira que os turistas estrangeiros não se intimidem com os incêndios, voltaram a ser esvaziadas nesta quinta-feira.

Alertas

– Peço a todos que ouçam os alertas, sigam os conselhos e rumem para a parte leste da ilha, que é considerada segura a esta altura – disse o chefe dos bombeiros da Austrália do Sul, Mark Jones, em outro briefing em Adelaide.

Um terço da ilha foi destruído.

Os incêndios já deixaram 27 mortos na atual temporada de calor, de acordo com o governo federal, e as chamas monstruosas já consumiram mais de 10,3 milhões de hectares de terras.

Milhares de pessoas ficaram desabrigadas e outras milhares tiveram que ser retiradas várias vezes por causa da volatilidade dos incêndios.

Os moradores da cidade litorânea de Mallacoota, onde milhares de pessoas ficaram presas em uma praia durante dias até uma retirada militar que só terminou na quarta-feira, estão entre os que foram aconselhados novamente a fugir.

– Se sairmos, para onde vamos? – disse Mark Tregellas, que passou a véspera de Ano Novo em uma rampa de barcos enquanto o fogo destruía a maior parte de sua cidade e uma de cerca de 1 mil pessoas que decidiram ficar.

– A eletricidade está voltando lentamente, mas todos dependem de geradores, e o combustível para eles é muito limitado – disse ele à agência inglesa de notícias Reuters por telefone de sua casa. “Agora as pessoas ficaram sem combustível, então a maioria da cidade está andando de bicicleta”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *