Western em Caracas, duelo na praça principal

Por Celso Lungaretti – No mundo é carnaval, na Venezuela é bangue-bangue: o autoproclamado presidente Juan Maria Guaidó resolveu partir para o tudo ou nada contra o presidente de facto mas de fraude Nicolas Maduro, cuja recente reeleição teve a mesmíssima legitimidade da eleição de Jair Bolsonaro.

Continue lendo

É hora de rever o filme O Desafio, de 1965

Por Celso Lungaretti – O desalento e apatia nas fileiras da esquerda brasileira, após sofrer os sucessivos e terríveis abalos do impeachment da Dilma, prisão do Lula, eleição do Bolsonaro e entrega de Battisti à Itália, lembra muito a prostração subsequente ao golpe de 1964, quando a facilidade com que João Goulart foi expelido pelos conspiradores da caserna machucou quase tanto quanto a derrubada em si.

Continue lendo

Berlim – Agnès Varda, da nouvelle vague aos nossos dias

Por Rui Martins, de Berlim – Emocionante reencontro. Primeiro, ela, Agnès Varda, sentada na cadeira de realizadora, conta na tela da Berlinale, como foram seus mais de quarenta anos no cinema, filme por filme. Terminada a projeção desse filme-documentário, ela surge em carne e osso.

Continue lendo

Boca do lixo em Berlim – O assassino em série de Hamburgo

Por Rui Martins, de Berlim – O filme sensação no Festival Internacional de Cinema de Berlim, que deixou zonzos os críticos de cinema e abarrotou o imenso salão destinado às entrevistas coletivas foi A Luva Dourada, do realizador Fatih Akin. Nele há um pouco de Rogério Sganzerla com José Mojica Marins, no relato hiperrealista dos crimes do assassino em série Fritz Honka, de Hamburgo, capaz de provocar nos espectadores nojo, repulsa e aversão, junto com a impressão de vir da tela do cinema um cheiro fétido, provocado pelos cadáveres em decomposição, no sotão onde vivia Fritz Honka.

Continue lendo