O Bálsamo da indiferença

Arquivado em: Destaque do Dia, Opinião, Últimas Notícias
Publicado sábado, 17 de fevereiro de 2018 as 12:49, por: CdB

A PM conhece o Rio como a palma da mão. Não é possível que uma quantidade significativa de armas e drogas seja transportada dentro do município (sob intervenção militar); sem prévio acerto com a corporação.

 

Por Gilson Caroni Filho – do Rio de Janeiro

 

Faz algum tempo, mas permanece atual. Levado pelo amigo Cid Benjamin, à época professor da faculdade, o então chefe da Polícia Civil, Hélio Luz, fez uma palestra sobre segurança pública para os alunos da Facha. Mais didático, impossível.

Sob a intervenção militar, as Forças Armadas ocupam mais uma favela, no Rio, cidade que a PM conhece como a palma da mão

Falou que a PM conhece o Rio como a palma da mão. Disse não ser possível que uma quantidade significativa de armas e drogas seja transportada dentro do município, sem prévio acerto com a corporação. Destacou que os setores de inteligência sabem onde estão os traficantes do atacado; mas não agem em função do poder político e econômico deles.

Chegou a afirmar que uma ação efetiva (somente possível com as Forças Armadas cumprindo seu papel de fiscalizar fronteiras terrestres; o espaço aéreo e a baía de Guanabara) teria efeitos até no mercado financeiro, onde é lavado parte do lucro do tráfico.

Gilson Caroni Filho é professor de Sociologia da Facha (RJ) e escreve para o Correio do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *