Barcelona limita frequência em praias por medo de nova onda de covid-19

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 21 de julho de 2020 as 14:28, por: CdB

As autoridades de Barcelona reduziram o número de pessoas que podem frequentar as praias da cidade de 38 mil para 32 mil nesta terça-feira, já que multidões foram tomar banho de mar no final de semana, apesar do alerta para ficarem em casa para conter um aumento local de infecções de coronavírus.

Por Redação, com Reuters – de Barcelona

As autoridades de Barcelona reduziram o número de pessoas que podem frequentar as praias da cidade de 38 mil para 32 mil nesta terça-feira, já que multidões foram tomar banho de mar no final de semana, apesar do alerta para ficarem em casa para conter um aumento local de infecções de coronavírus.

Banhistas lotam praia em Barcelona no domingo passado
Banhistas lotam praia em Barcelona no domingo passado

Normalmente, a segunda maior cidade da Espanha e um dos destinos turísticos europeus mais visitados teria cerca de 40 mil pessoas em suas 10 praias a esta altura do ano, disse uma porta-voz da prefeitura.

Emergência

Mas Barcelona está no centro de um aumento de casos de coronavírus surgido após o final do estado nacional de emergência um mês atrás.

Em reação, autoridades municipais e regionais impuseram uma série de restrições e revoltaram alguns negócios que foram orientados a voltar a fechar, como cinemas, clubes noturnos e academias de ginástica.

– Por que temos que ser fechados? – questionou Oscar Simon, chefe de uma escola de artes marciais, em um protesto de gerentes e funcionários de centros esportivos.

A Espanha é um dos países mais atingidos da Europa, acumulando mais de 28 mil mortes do coronavírus. O país achou que havia deixado o pior para trás ao suspender um isolamento nacional em junho, mas quase 200 focos novos surgiram, a maioria na Catalunha, o que levou as autoridades a imporem diversas restrições.

Na sexta-feira, as autoridades catalãs exortaram cerca de quatro milhões de pessoas, inclusive em Barcelona, a só saírem de casa para tarefas essenciais, proibiram reuniões de mais de dez pessoas e limitaram a ocupação de bares e restaurantes.