Barroso e Fachin assumem a Justiça Eleitoral e Bolsonaro tripudia a solenidade

Arquivado em: Destaque do Dia, Política, Últimas Notícias
Publicado domingo, 24 de maio de 2020 as 16:13, por: CdB

Devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus, desta vez, apenas duas autoridades estarão presencialmente no plenário do TSE. São elas a ministra Rosa Weber, atual presidente do Tribunal e o ministro Luis Felipe Salomão, escolhido para dar as boas-vindas ao novo presidente em nome da Corte.

Por Redação – de Brasília

Em cerimônia inédita, sem convidados e sem plateia presencial, os ministros Luís Roberto Barroso e Edson Fachin tomam posse nesta segunda-feira, às 17h, como presidente e vice-presidente, respectivamente, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A nova gestão comandará a Corte até fevereiro de 2022, pouco antes da eleição que encerra o mandato de Jair Bolsonaro (sem partido) no comando da República.

Bolsonaro, sem máscara, pega uma criança no colo, durante aglomeração em frente ao Palácio do Planalto
Bolsonaro, sem máscara, pega uma criança no colo, durante aglomeração em frente ao Palácio do Planalto

Devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus, desta vez, apenas duas autoridades estarão presencialmente no plenário do TSE. São elas a ministra Rosa Weber, atual presidente do Tribunal e o ministro Luis Felipe Salomão, escolhido para dar as boas-vindas ao novo presidente em nome da Corte; além Barroso e Fachin.

Entre os convidados virtuais estão o presidente da República, Jair Bolsonaro, os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP), do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli , o procurador-geral Eleitoral, Augusto Aras, e o presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz.

Em respeito às medidas sanitárias, todos os cuidados necessários serão tomados como distanciamento mínimo de dois metros entre os ministros. Uma mesa de autoridades será composta virtualmente. Para o presidente Bolsonaro, no entanto, estas são medidas inócuas.

Nem aí

Embora Bolsonaro esteja convidado para assistir à posse de Barroso, ele já deixou claro, neste domingo, que não está interessado em manter o distanciamento social ou qualquer outra medida de contenção à pandemia. Bolsonaro fez questão de formar uma aglomeração entre os seus apoiadores, na Praça dos Três Poderes, neste domingo.

Pouco antes do meio-dia, acompanhado pelo ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno e o deputado federal Hélio Lopes (PSL-RJ), Bolsonaro deixou o Palácio da Alvorada de helicóptero e sobrevoou a Esplanada dos Ministérios para observar uma carreta que fez parte do ato.

Depois que pousou na área da Vice-presidência do Palácio, Bolsonaro veio caminhando pela pista acenando para os manifestantes que, vestidos de verde e amarelo e com faixas e bandeiras do Brasil, estavam separados do presidente apenas por uma grade. Bolsonaro ficou na manifestação por quase uma hora. Em seguida, voltou ao Palácio da Alvorada sem falar com a imprensa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *