À beira do desespero, Bolsonaro volta a atacar o PT

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 17 de maio de 2019 as 15:51, por: CdB

Bolsonaro já havia afirmado na quarta-feira, dia do protesto que reuniu dezenas de milhares de brasileiros em cidades de todos os Estados do país, que os manifestantes eram “idiotas úteis, uns imbecis, que estão sendo usados como massa de manobra de uma minoria espertalhona”.

 

Por Redação – de Brasília

O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar, nesta sexta-feira, manifestantes que foram às ruas de diversas cidades do país nesta semana para protestar contra o congelamentos de verbas do Ministério da Educação, dizendo que muitos foram usados como massa de manobra de uma campanha pela soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em sua página, em uma rede social, Bolsonaro chegou a publicar um vídeo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para explicar os cortes nos recursos destinados à Educação. O ministro da pasta, Abraham Weintraub, não conseguiu alcançar esse objetivo.

Jair Bolsonaro está cada vez mais distante dos índices observados no início do mandato
Jair Bolsonaro está cada vez mais distante dos índices de aprovação observados no início do mandato

“(A presidenta deposta) Dilma (Rousseff, PT) cortou R$ 10 bilhões da Educação e doou R$ 50 bilhões para países amigos, algumas ditaduras. Quem participou dessa última manifestação e não tinha conhecimento disso eu lamento, mas foram usados como massa de manobra pelo bando do ‘Lula livre”, disse Bolsonaro em publicação no Twitter.

Protestos

Bolsonaro já havia afirmado na quarta-feira, dia do protesto que reuniu dezenas de milhares de brasileiros em cidades de todos os Estados do país, que os manifestantes eram “idiotas úteis, uns imbecis, que estão sendo usados como massa de manobra de uma minoria espertalhona que compõe o núcleo de muitas universidades federais do Brasil”.

Professores, estudantes, sindicalistas e integrantes de movimentos sociais protestaram em manifestações convocadas pela União Nacional dos Estudantes (UNE) contra os cortes nas verbas para a educação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *