Berlim, três filmes brasileiros na mostra Fórum

Arquivado em: Arquivo CDB, Boletim, Cultura, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 18 de janeiro de 2019 as 21:42, por: CdB

O Festival Internacional de Cinema de Berlim divulgou os títulos de três filmes brasileiros selecionados para a mostra paralela Fórum.

Por Rui Martins, convidado para o Festival Internacional de Cinema de Berlim:

A rosa azul era considerada símbolo do romantismo

A Rosa Azul de Novalis, Querência e Chão são os três filmes brasileiros selecionados pelo Festival Internacional de Cinema de Berlim para a mostra paralela Fórum.

A Rosa Azul de Novalis, de Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro, se reporta ao escritor alemão Georg Friedrich Philipp Freiherr von Hardenberg, 1712-1801, teólogo, filósofo, poeta, cujo pseudônimo é Novalis, considerado um precursor da literatura moderna. O ambiente é o apartamento em São Paulo, onde vive Marcelo, quarentão, soropositivo, dotado de grande memória, recitando trechos da novela Heinrich von Ofterdingen, numa postura nada convencional: de bruços com o cabo de uma rosa azul, símbolo do romantismo no século XIX, enfiado no anus.

Querência, de Helvécio Marins Jr., é um longa metragem rodado no interior, onde outro Marcelo rural e nada urbano, sonha em ser animador de rodeios e não tira seu chapéu de vaqueiro.

Chão, de Camila Freitas, trata da luta pela reforma agrária no Estado de Goiás e da oposiçâo do agronegócio aos defensores da agricultura ecológica. Mostra, como numa parábola, a queda do governo de esquerda, que nâo criou estruturas para a reforma agrária, substituído pelos conservadores.

O cinema brasileiro tem ainda dois filmes na mostra paralela Panorama.

O primeiro é Estou me Guardando para Quando o Carnaval Chegar, de Marcelo Gomes.

Na cidade de Toritama, considerada um centro ativo do capitalismo local, mais de 20 milhões de jeans são produzidas anualmente em fábricas caseiras. Orgulhosos de serem os seus próprios chefes, os proprietários destas fábricas trabalham sem parar em todas as épocas do ano, exceto no Carnaval: chega a semana de folga. Vendem tudo que acumularam e descansam em praias paradisíacas.

O segundo é Greta, de Armando Praça, segue a sinopse do filme ainda inédito: Pedro , um enfermeiro homossexual de 70 anos, fervoroso fã de Greta Garbo, precisa liberar uma vaga no hospital onde trabalha para Daniela, sua melhor amiga. Para salvar Daniela, decide ajudar Jean, um jovem que acaba de ser hospitalizado  algemado por ter cometido um crime: ajuda -o a fugir e esconde-o em sua própria casa até sua recuperaçâo. Nesse período, ambos se envolvem afetiva e sexualmente. Essa relação será essencial para Pedro sobreviver à perda de Daniela, e provoca mudanças surpreendentes nele mesmo e no seu modo de viver a solidão.

Na mostra Geraçâo, está o filme Espero tua re(volta), de Elisa Capai, um documentário ainda inédito no Brasil. Um retrato do movimento estudantil, que ganhou força a partir do ano de 2015 ocupando escolas estaduais por todo Brasil. Acompanhando três jovens do movimento e com imagens de arquivo de manifestações desde 2013, o documentário tenta compreender as reivindicações estudantis a partir do ponto de vista dos estudantes envolvidos.

Rui Martins estará  em Berlim do 6 ao 17 de fevereiro, convidado pelo Festival Internacional de Cinema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *