Bernabéu é primeiro estádio a receber final de Copa, Euro, Champions e Libertadores

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 30 de novembro de 2018 as 12:34, por: CdB

Com exceção da Copa América, o principal palco futebolístico da capital espanhola completará assim um feito inédito após ter sido sede da final da Copa do Mundo de 1982.

Por Redação, com EFE – de Madri

Casa do Real Madrid, o Santiago Bernabéu receberá no próximo dia 9 de dezembro o jogo de volta da final da Taça Libertadores, entre River Plate e Boca Juniors, tornando-se assim o primeiro estádio do mundo a sediar decisões de quatro dos cinco grandes torneios do mundo do futebol.

Casa do Real Madrid, o Santiago Bernabéu receberá no próximo dia 9 de dezembro o jogo de volta da final da Taça Libertadores

Com exceção da Copa América, o principal palco futebolístico da capital espanhola completará assim um feito inédito após ter sido sede da final da Copa do Mundo de 1982, da Eurocopa de 1964, de quatro edições da Liga dos Campeões e agora da maior competição de clubes sul-americanos, depois dos graves incidentes de violência registrados em Buenos Aires no último sábado.

O estádio foi inaugurado no dia 14 de dezembro de 1947 com o nome de Novo Charmartín. Oito anos depois, passou a se chamar Santiago Bernabéu, em homenagem ao maior presidente da história do clube. Agora, com 71 anos, está prestes a passar por uma grande reforma, que mudará totalmente seu exterior.

Apesar da distância, o Bernabéu não é um estádio estranho para os dois clubes argentinos que decidirão a Libertadores na Espanha.

O River

O River jogou em cinco ocasiões na casa do Real: um amistoso, em 1951, em uma homenagem a Juanito Alonso, em 1961, em outra homenagem, desta vez a Paco Gento, em 1965, um novo amistoso em 1973 e em partida do Troféu Bernabéu, em 2003.

Já o Boca esteve no Bernabéu uma única vez: o jogo de ida da chamada Copa Ibero-Americana. Na Espanha, os ‘xeneizes’ perderam por 3 a 1. No jogo da volta, em La Bombonera, vitória dos donos da casa, mas por um placar insuficiente para o título: 2 a 1.

Outro elemento que une Boca, River e Bernabéu é o craque argentino Alfredo Di Stéfano, considerado como um dos maiores jogadores da história do Real Madrid.

Antes de mudar-se para a Espanha, Di Stéfano jogou pelo River entre 1945 e 1949, sendo posteriormente técnico do clube em 1981. O Boca, por sua vez, foi comandado pelo craque em 1969 e depois entre 1985 e 1986.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *