Bernie Sanders lidera arrecadação entre pré-candidatos democratas à Presidência dos EUA

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 16 de abril de 2019 as 12:57, por: CdB

A análise inclui relatórios de arrecadação dos três primeiros meses de 2019 dos pré-candidatos que lançaram suas campanhas antes de 1º de abril.

Por Redação, com Reuters – de Washington

Entre os vários democratas que concorrem à indicação do partido para a eleição presidencial de 2020 nos Estados Unidos, o senador Bernie Sanders arrecadou mais dinheiro do que qualquer concorrente e recebeu a maior parte dos recursos de doações pequenas e de fora de Vermont, seu Estado de origem.

Senador e pré-candidato presidencial democrata dos EUA Bernie Sanders

Uma análise da agência inglesa de notícias Reuters de relatórios de arrecadação do primeiro trimestre apresentados na segunda-feira mostrou que, embora os postulantes democratas à Casa Branca falem em montar suas campanhas com apoio “de raiz” ou de pequenos doadores, só seis de 15 conseguiram metade do que receberam de doações pequenas.

Muitos pré-candidatos ainda dependem de doadores em seus Estados de origem para cheques maiores. Nove democratas receberam o grosso de suas contribuições de US$ 200 ou mais em seus redutos, apontou a análise da Reuters.

A análise inclui relatórios de arrecadação dos três primeiros meses de 2019 dos pré-candidatos que lançaram suas campanhas antes de 1º de abril. A quantidade de concorrentes aumentou desde então, e agora 18 democratas disputam a indicação do partido para desafiar o presidente Donald Trump, um republicano, em novembro de 2020.

Muitos democratas alardearam o apoio dos chamados doadores de “poucos dólares”, aqueles que dão menos de US$ 200. Mas só seis, Sanders, a senadora Elizabeth Warren, o ex-congressista Beto O’Rourke, o prefeito Pete Buttigieg, de South Bend, Indiana, a deputada Tulsi Gabbard, e Andrew Yang, ex-executivo de uma empresa de tecnologia, estão contando principalmente com estes doadores.

Sanders se beneficiou mais de pequenos doadores no primeiro trimestre, cerca de 84 %  de sua arrecadação de US$ 18 milhões veio de indivíduos que deram menos de US$ 200.

Sanders também teve a maior diversidade geográfica em suas doações: os doadores da Califórnia representaram 27 %  das doações de US$ 200 ou mais.

Um bom desempenho precoce na arrecadação pode sinalizar a força da campanha de um pré-candidato. Até recentemente, por exemplo, Buttigieg não tinha perfil nacional, mas arrecadou US$ 7 milhões durante o primeiro trimestre de 2019, dos quais 64 %  vieram de doações pequenas.

Para mostrar que são sérios a respeito da eliminação das grandes corporações da política, a maioria dos pré-candidatos democratas recusou doações de comitês de arrecadação ligados ao empresariado, e alguns vetaram cheques de lobistas registrados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *