Biden vence na Carolina do Sul e se anima para enfrentar a Superterça

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado domingo, 1 de março de 2020 as 12:43, por: CdB

Com 100% dos votos apurados, o ex-vice de Barack Obama obteve 48,4% da preferência, quase 30 pontos a mais que o líder das primárias, Bernie Sanders (19,9%). O ativista bilionário Tom Steyer, que apostava todas as suas fichas no Estado, ficou em terceiro lugar (11,3%) e abandonou a disputa.

 

Por Redação, com Ansa – de Colúmbia

Após três resultados decepcionantes em Iowa, New Hampshire e Nevada, Joe Biden comemorava, neste domingo, uma vitória maiúscula na Carolina do Sul, quarto Estado norte-americano a realizar prévias para as eleições presidenciais. A conquista da maioria dos delegados voltou a impulsionar sua campanha.

Biden
Joe Biden exibe confiança ao vencer na Carolina do Sul, com apoio maciço da comunidade afro-americana

Com 100% dos votos apurados, o ex-vice de Barack Obama obteve 48,4% da preferência, quase 30 pontos a mais que o líder das primárias, Bernie Sanders (19,9%). O ativista bilionário Tom Steyer, que apostava todas as suas fichas no Estado, ficou em terceiro lugar (11,3%) e abandonou a disputa.

Afro-americanos

Pete Buttigieg (8,2%), Elizabeth Warren (7,1%) e Amy Klobuchar (3,1%) ficaram abaixo dos 10% e provavelmente terão na “Superterça”, em 3 de março, sua última chance de sonhar com a indicação democrata em 2020.

— Daqui vocês lançaram Bill Clinton, Barack Obama e agora eu. Minha campanha finalmente decolou. Imprensa e analistas davam minha candidatura como morta, mas hoje venceu o coração do Partido Democrata — disse Biden, que deve garantir 39 dos 54 delegados em disputa. Sanders tende a ficar com os outros 15.

A vitória confirma a força de Biden no eleitorado negro — 65% dos democratas da Carolina do Sul são afro-americanos — e o fortalece como principal alternativa ao social-democrata Sanders, posição que vinha sendo ameaçada por Buttigieg e pelo ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg, que somente entrará na disputa na Superterça.

— Se o partido me nomear, poderemos derrotar Trump, manter a Câmara e tomar o Senado — prometeu, acrescentando que “nem todos querem as promessas de uma revolução”, referindo-se à proposta progressista de Sanders.

Derrotas

Após o resultado da Carolina do Sul, o senador por Vermont acumula 60 delegados, segundo estimativas da imprensa local, contra 54 de Biden, 26 de Buttigieg, oito de Warren e sete de Klobuchar. Para obter a nomeação democrata, é preciso assegurar 1.991 dos 3.979 delegados, sendo que 1.344 serão distribuídos na “Superterça”.

Na ocasião, estarão em jogo 14 Estados e a Samoa Americana, sendo que Sanders lidera as pesquisas em quatro dos cinco mais cobiçados: Califórnia (415 delegados), Texas (228), Virginia (99) e Massachusetts (91). Biden é favorito na Carolina do Norte (110).

— Não vencemos na Carolina do Sul, mas ainda há muitos estados, e haverá novas derrotas. Não se pode vencer em todos os lugares — resumiu Sanders.