Bitcoin registra lucros de 9 milhões por cento em uma década

Arquivado em: Comércio, Indústria, Serviços, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 1 de janeiro de 2020 as 14:50, por: CdB

Apesar do número estratosférico, a performance dos últimos anos não foi uniforme. O preço da moeda sofreu quedas vertiginosas, levando muitos analistas a duvidar da longevidade do ativo.

 

Por Redação, com Sputniknews – de Londres

 

Bitcoin é o ativo com melhor performance na década, apesar de ceticismo e regulação estatal. Inicialmente encarada como instrumento especulativo criado para evitar investimentos em instituições financeiras no período pós-crise de 2008, o bitcoin revelou ser bastante resiliente e alcançou a maior valorização entre os ativos na década que se encerrou nesta terça-feira.

Computador preparado para minerar bitcoins demanda um alto custo no consumo de energia
Computador preparado para minerar bitcoins demanda um alto custo no consumo de energia

A principal moeda digital do mundo, com preço atual estimado em US$ 7.200 (cerca de R$ 29 mil), acumulou ganhos de quase 9.000.000% desde julho de 2010, conforme reportou a Bloomberg.

— O bitcoin realmente conseguiu captar aquele entusiasmo tecnológico inebriante de que ‘dessa vez é diferente’ — disse o presidente da Financial Insyghts, Peter Atwater.

Apesar do número estratosférico, a performance dos últimos anos não foi uniforme. O preço da moeda sofreu quedas vertiginosas, levando muitos analistas a duvidar da longevidade do ativo.
Mas o preço do bitcoin cresceu a margens muito superiores aos demais ativos. No mesmo período, a S&P 500 cresceu somente em três vezes. Mesmo o ouro acumulou um crescimento inferior, na casa dos 25%.

Criptomoeda

Os outros ativos com melhor performance na década – a Exact Sciences Corp. e a Intelligent Systems Corp.- observaram um aumento de 3.000%, bastante inferior ao da moeda digital.
Criada em outubro de 2008 pelo japonês Satoshi Nakamoto, a moeda demorou a obter aceitação global.

No início de 2017, a moeda valia cerca de US$1.000 (cerca de R$ 4.200). Em julho daquele ano, o preço já tinha dobrado. Em dezembro, a criptomoeda atingiu US$ 14.000 (cerca de R$ 56.300).
Mas, após essa euforia, os preços caíram com a mesma velocidade. No fim de 2018, a criptomoeda despencou para US$ 3.000 (cerca de R$ 12.060), e recuperou-se somente após quase um ano, quando alcançou a marca de US$ 13.000 (cerca de R$ 52.253).

Apesar do bom desempenho, a aceitação da moeda como meio de troca ficou aquém das expectativas. Apesar de ser uma criptomoeda, o bitcoin se comporta, cada vez mais, como uma ação, não fosse pelo seu desempenho acima da média.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *