Blecaute na Venezuela obriga suspensão do jogo entre Deportivo Lara e Emelec

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 8 de março de 2019 as 14:18, por: CdB

O jogo estava programado para às 22h (horário local, 23h de Brasília) e encerraria a programação de 16 jogos da primeira rodada da fase de grupos. A Conmebol ainda não definiu a nova data da partida.

Por Redação, com EFE – de Caracas

A partida entre Deportivo Lara-VEN e Emelec-EQU, pela primeira rodada do grupo B da Taça Libertadores da América e programada para a noite de quinta-feira, foi suspensa devido a falta de energia elétrica em grande parte da Venezuela, afetando também o estádio Metropolitano, em Cabudare, palco do confronto.

A Conmebol ainda não definiu a nova data da partida

O jogo estava programado para às 22h (horário local, 23h de Brasília) e encerraria a programação de 16 jogos da primeira rodada da fase de grupos. A Conmebol ainda não definiu a nova data da partida.

A Venezuela sofreu um novo apagão que afetou pelo menos 11 estados, entre eles a capital Caracas.

A queda de energia ocorreu às 17h (horário local, 18h de Brasília) e foi anunciada imediatamente pelas redes sociais nas regiões de Carabobo, Miranda, Barquisimeto, Tachira, Cojedes, Merida, Barinas, Vargas, Nueva Esparta, Aragua e Zulia.

Mais cedo, no pelo mesmo grupo, o Cruzeiro estreou com vitória por 1 a 0 sobre o Huracán, em Buenos Aires, com gol de Rodriguinho.

Cruzeiro estreia na Libertadores vencendo o Huracán

O Cruzeiro iniciou bem a luta pelo tricampeonato da Taça Libertadores nesta quinta-feira ao vencer o Huracán por 1 a 0 no estádio Tomás Adolfo Ducó, em Buenos Aires, graças a um gol marcado pelo meia Rodriguinho.

Em jogo disputado sob muita chuva, o campeão continental de 1976 e 1997 encontrou problemas para criar, mas Rodriguinho, reforço contratado em janeiro pensando principalmente na Libertadores, resolveu em uma bonita jogada individual.

Dessa forma, a Raposa obteve a revanche de quatro anos atrás, quando enfrentou o Globo também na fase de grupos e obteve um empate e uma derrota. Além disso, tem agora o mesmo número de vitórias e derrotas em duelos com representantes argentinos no torneio da Conmebol: 15.

Os comandados de Mano Menezes largaram na frente no grupo B, que tem também Deportivo Lara e Emelec, que se enfrentarão ainda hoje na cidade de Barinas. O time venezuelano, aliás, é o próximo adversário do Cruzeiro, em jogo marcado para a próxima quarta-feira no Mineirão.

Mano teve três desfalques importantes na estreia. O zagueiro Dedé cumpriu suspensão por ter sido expulso contra o Boca Juniors, pelas quartas de final do ano passado, o meia Thiago Neves está entregue à fisioterapia, depois de ter se recuperado de um estiramento na panturrilha direita, e o atacante Raniel vem sentindo dores na virilha e foi vetado.

Um dos jogadores mais conhecidos do Huracán, o atacante Barrios, campeão da Libertadores pelo Grêmio em 2017, teve a primeira chance da partida, aos seis minutos de bola rolando, mas cabeceou mal e praticamente recuou para o goleiro Fábio.

O primeiro ataque de maior perigo da Raposa também foi feito pelo alto. Robinho bateu escanteio pela direita, Rodriguinho subiu mais que a marcação na segunda trave e cabeceou no cantinho, mas Antony Silva caiu e espalmou.

Aos 19 minutos, em um lance de sorte do Globo, a torcida cruzeirense levou um susto. Gamba cruzou fechado, a bola tomou a direção do gol e quase entrou, mas foi pela linha de fundo.

O jogo era amarrado, sem muitas chances claras, mas o atual bicampeão da Copa do Brasil saiu à frente no placar graças ao talento individual. Aos 29, Robinho tocou dentro da área para Rodriguinho, que limpou Damonte e chutou na saída de Antony Silva para fazer 1 a 0.

O gol não mudou o panorama do duelo, que continuou amarrado. Com dificuldade de entrar na área, o Huracán recorreu a uma jogada ensaiada, aos 43 minutos. Gamba rolou, Alderete encheu o pé e tirou tinta da trave direita. Na resposta da Raposa, aos 46, Egídio tabelou com Rafinha e tentou encobrir, mas o goleiro defendeu.

Pouco acionado no primeiro tempo, Fred incomodou aos nove minutos da etapa final. O centroavante escorou de cabeça depois de levantamento de Edílson e mandou rente ao poste esquerdo. Também de cabeça, aos 20, Chávez, ex-jogador do São Paulo, deu trabalho a Fábio, mas o camisa 1 segurou.

Aos poucos, o Huracán foi ganhando terreno e criando mais. Aos 25, Auzqui driblou Fábio e tocou para o gol, mas Murilo cortou. O zagueiro e o goleiro não se entenderam, Barrios recolheu e bateu para fora. Em seguida, aos 27, Salcedo pegou sobra e chutou forte, mas acertou a defesa e ficou com o escanteio.

A defesa da Raposa dava algumas bobeiras, mas contava com a incompetência do ataque adversário para não ser vazada. Aos 34, Mendoza foi acionado nas costas de Edílson e concluiu em cima do goleiro. Aos 38, o lateral-direito tentou se redimir, mas cobrou falta muito mal. Fred ainda desviou, mas cedeu tiro de meta.

Os últimos instantes de jogo em Buenos Aires foram tensos. Mano Menezes foi excluído por reclamação, e o árbitro peruano Diego Haro deu seis minutos de acréscimo.

Os donos da casa chegaram a balançar a rede, aos 46, mas o lance foi corretamente anulado. Chimino fez o chuveirinho, Salcedo preparou de cabeça e Barrios completou, mas foi flagrado em impedimento.

Ainda foi necessário que Fábio brilhasse e garantisse os três pontos para o Cruzeiro. Aos 48 minutos, Alderete bateu forte, e o goleiro deu rebote, mas usou o pé direito para evitar que Barrios empatasse. Aos 50, Salcedo recebeu livre, mas cabeceou no meio do gol, e o camisa 1 segurou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *