Boicote dos EUA aos Jogos de 2022 prejudicará interesses dos atletas

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 23 de novembro de 2021 as 12:01, por: CdB

De acordo com as fontes citadas pelo jornal norte-americano, Biden e outros membros do governo dos EUA não participarão dos Jogos Olímpicos com status oficial em resposta às violações dos direitos humanos atribuídas a Pequim.

Por Redação, com Sputnik – de Washington/Pequim

A politização dos próximos Jogos Olímpicos de 2022 em Pequim prejudicará o movimento olímpico e os interesses dos atletas, afirmou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian.

Boicote dos EUA aos Jogos Olímpicos de 2022 prejudicará interesses dos atletas, afirma MRE chinês

A declaração do porta-voz ocorreu durante uma reunião na última sexta-feira ao comentar os relatos de boicote diplomático dos EUA.

O presidente norte-americano, Joe Biden, afirmou que o governo pretende realizar um boicote diplomático aos próximos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022 em Pequim.

– Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Inverno de 2022 em Pequim são um palco para os atletas do mundo inteiro, são eles os verdadeiros protagonistas dos próximos jogos. Qualquer politização do esporte viola o espírito olímpico e prejudica os interesses dos atletas de todos os países – afirmou o diplomata chinês.

Jogos Olímpicos

Anteriormente, o jornal Washington Post informou que a administração Biden pretende anunciar em breve um boicote aos Jogos Olímpicos.

De acordo com as fontes citadas pelo jornal norte-americano, Biden e outros membros do governo dos EUA não participarão dos Jogos Olímpicos com status oficial em resposta às violações dos direitos humanos atribuídas a Pequim.

Atletas dos EUA

Mesmo sob um boicote, os atletas dos Estados Unidos receberiam um sinal verde para participar das Olimpíadas, previstas para começar em 4 de fevereiro de 2022. O país, contudo, não iria enviar uma delegação de funcionários do governo para comparecer aos eventos olímpicos, incluindo as cerimônias de abertura e de encerramento.

Ativistas de direitos humanos pedem por um boicote global às Olimpíadas de Pequim, tanto que passaram a chamar o evento como os “Jogos do Genocídio”, principalmente em virtude das constantes denúncias de violações de direitos humanos da minoria uigur em Xinjiang. A China, por sua vez, nega todas as acusações recebidas.

– Temos sérias preocupações sobre os abusos dos direitos humanos que vimos em Xinjiang – disse Jen Psaki, porta-voz da Casa Branca, destacando ainda que a ideia de Biden boicotar as Olimpíadas não nasceu por causa da sua reunião virtual com Xi.

Em 1980, os atletas dos Estados Unidos boicotaram as Olimpíadas de Moscou sob pressão do então presidente Jimmy Carter, que tomou a decisão para repreender a União Soviética por ter invadido o Afeganistão. Os soviéticos, no entanto, responderam os norte-americanos com um boicote aos Jogos de 1984, em Los Angeles.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code