Bolsonaristas mantêm discurso criminoso de ódio, observa Tardelli

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 1 de outubro de 2021 as 16:38, por: CdB

Fakhoury usou seu depoimento na CPI da Covid, na última quinta-feira, para defender o negacionismo e propagar mentiras sobre vacinas e as medidas não-farmacológicas, como o uso de máscara.

Por Redação, com RBA – de São Paulo

A CPI da Covid ouviu os empresários bolsonaristas Luciano Hang e Otávio Fakhoury nesta última semana, acusados de financiar a disseminação de fake news durante a pandemia de covid-19. Para o advogado e ex-procurador de Justiça do Ministério Público do Estado de São Paulo (MPE-SP) Roberto Tardelli, os depoimentos mostram a urgência de impedir essa prática, que pode influenciar o processo eleitoral de 2022.

Otavio Fakhoury
O empresário Otavio Fakhoury, réu em processo por patrocínio de notícias falsas, foi confrontado na CPI da Covid

— Precisamos garantir que essa ‘bactéria’ não influencie o voto. Nas eleições de 2018, todos conhecemos alguém que foi influenciado por uma notícia absurda. Esse inquérito (das fake news, instaurado no âmbito do Supremo Tribunal Federal) é fundamental para proteger a lisura do processo eleitoral — afirmou Tardelli à agência brasileira de notícias Rede Brasil Atual (RBA)

Fakhoury usou seu depoimento na CPI da Covid, na última quinta-feira, para defender o negacionismo e propagar mentiras sobre vacinas e as medidas não-farmacológicas, como o uso de máscara. Alguns senadores enxergaram a prática de crimes nas falas do depoente.

Homofóbico

O empresário paulistano, sob o argumento de que se tratava de “sua opinião”, criticou a eficácia das vacinas, minimizou a segurança do uso de máscaras e exaltou medicamentos ineficazes para o tratamento da covid-19. No início da sessão, o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) assumiu a presidência da comissão para responder a uma ofensa homofóbica publicada em postagem de rede social do empresário.

— Ora, você não emite uma opinião quando é homofóbico, é uma ofensa. Ele tem o direito de ser um idiota, a lei não proíbe isso, mas é crime endossar fake news. Emitir notícia mentirosa e distorcida não é opinião. Esta CPI foi uma das mais históricas que tivemos e vai trazer a única esperança de efetivar um impeachment desse presidente sociopata — afirmou Roberto Tardelli.

Na quarta-feira, o dono das lojas Havan, Luciano Hang, foi à CPI da Covid. Ele é acusado de pertencer ao gabinete paralelo de aconselhamento de Jair Bolsonaro, promovendo ideias sem comprovação científica, como o “tratamento precoce” ou “preventivo” com medicamentos como hidroxicloroquina e ivermectina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code