Bolsonaro acena para o vazio, no Ceará, e ataca governadores

Arquivado em: Brasil, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 13 de agosto de 2021 as 18:29, por: CdB

Bolsonaro reconheceu, nesta sexta-feira, que o Brasil enfrenta um cenário de alta na inflação, e disse que a responsabilidade é dos governadores. Ele acrescentou que busca medidas para reduzir o “impacto danoso” da alta de preços, que se aproxima dos 10% nos últimos 12 meses.

Por Redação – de Fortaleza

Depois de desfilar em carro aberto pelas ruas desertas de Juazeiro do Norte, a segunda cidade mais populosa do Ceará, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), acenando para ninguém, voltou a atacar os governadores dos Estados, em conversa com os poucos jornalistas que o acompanhavam. O mandatário neofascista, em franco declínio nas pesquisas de opinião, culpou os executivos estaduais pela alta na inflação.

Bolsonaro no Ceará
Com o prestígio em queda, o presidente Jair Bolsonaro acena para ninguém durante carreata no interior cearense

Bolsonaro reconheceu, nesta sexta-feira, que o Brasil enfrenta um cenário de alta na inflação, e disse que a responsabilidade é dos governadores. Ele acrescentou que busca medidas para reduzir o “impacto danoso” da alta de preços, que se aproxima dos 10% nos últimos 12 meses.

— Sabemos que a inflação chegou em nosso país, como chegou em todos. A pandemia desequilibrou a economia, e nós tentamos, agora dessa forma, no momento, atender aos mais necessitados. Aquela política que os governadores adotaram, como esse ‘fique em casa que a economia a gente vê depois’, a conta está chegando. Mas nós vamos (buscar), como já estamos buscando, maneiras de suavizar o impacto danoso que vem da inflação — prometeu, sem detalhar o que vai fazer.

Sem máscara

Em Juazeiro do Norte, o presidente foi entregar moradias do programa Casa Verde e Amarela, uma tentativa de continuação do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’, dos governos petistas. O mandatário também citou a criação do Programa Auxílio Brasil, sucessor do Bolsa Família, como uma das medidas para reduzir o impacto dos preços altos. E voltou a prometer um reajuste de, pelo menos, 50% no valor médio pago no programa de distribuição de renda.

Em seu discurso, no interior cearense, Bolsonaro também reconheceu o preço alto de gás de cozinha, mas não indicou nenhuma nova medida para mitigar esse impacto sobre o orçamento das famílias mais pobres. Ele diz que zerou o imposto federal sobre o gás de cozinha e voltou a cobrar os governadores que façam o mesmo com os tributos estaduais.

O presidente desembarcou em Juazeiro do Norte por volta das 9h40 e percorreu as ruas da cidade em carro aberto no trajeto entre o aeroporto e o local da solenidade. Bolsonaro não usava máscara de proteção contra a covid-19, assim como o ministro Rogério Marinho (Desenvolvimento regional) e o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

Resposta

Logo após as declarações de Bolsonaro, o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), reagiu ao ataque.

— Criminoso, senhor presidente, é ignorar a perda de mais de meio milhão de vidas na pandemia e ainda debochar da dor das famílias. Tivéssemos um governo federal mais preocupado com a vida, milhares teriam sido salvas. Seus ataques jamais irão tirar de mim a força para continuar lutando — respondeu o governador.

O Estado do Ceará também será destino do ex-presidente Lula no mês de agosto. Ele fará um tour pelo Nordeste e a primeira parada será no estado do cearense, para fazer costuras políticas visando as eleições de 2022.

Terceiro maior colégio eleitoral do Nordeste, com 6,5 milhões de eleitores, o Ceará é governado pelo petista Camilo Santana, que mantém laços com a família Ferreira Gomes, dos irmãos Ciro e Cid Gomes (PSB), senador da oposição ao governo Bolsonaro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code