Bolsonaro descobre que o Brasil tem reservas estratégicas de fertilizantes

Arquivado em: Destaque do Dia, Energia, Meio Ambiente, Natureza, Últimas Notícias
Publicado domingo, 16 de dezembro de 2018 as 19:36, por: CdB

“Junto aos futuros ministros de Minas e Energia e Agricultura, estamos analisando o potencial de exploração de reservas de potássio, cálcio e magnésio em regiões do nosso país. Hoje, mesmo com as maiores reservas, dependemos de matéria-prima importada para produzir fertilizantes”, escreveu na rede social.

 

Por Redação – do Rio de Janeiro

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, disse neste domingo, em uma postagem no Twitter, que tem analisado o potencial de exploração de reservas de potássio, cálcio e magnésio no país junto com os futuros ministros de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque, e da Agricultura, Tereza Cristina.

A mineração do magnésio, em Minas Gerais, deixa crateras imensas no solo
A mineração do magnésio, em Minas Gerais, deixa crateras imensas no solo

“Junto aos futuros ministros de Minas e Energia e Agricultura, estamos analisando o potencial de exploração de reservas de potássio, cálcio e magnésio em regiões do nosso país. Hoje, mesmo com as maiores reservas, dependemos de matéria-prima importada para produzir fertilizantes”, escreveu na rede social.

Desafios

Na última terça-feira, ao ser perguntado sobre as ações da pasta para 2019, Albuquerque disse que os desafios são “enormes”.

— Não só no setor elétrico, mas também na questão de óleo e gás, da mineração tem a cessão onerosa, tem Itaipu, daqui a pouco vamos ter que discutir o contrato de Itaipu. E na questão de energia elétrica é aquilo: fornecer energia mais barata para o consumidor e para aquele que está investindo no país, que vai começar a crescer — afirmou.

Reservas

Segundo a Agência Nacional de Mineração (ANM), as reservas brasileiras de potássio estão localizadas em Sergipe e no Amazonas. Na Amazônia, a reserva em Autazes, a 113 quilômetros de Manaus, tem 800 milhões de toneladas. Com a sua descoberta, o Brasil saltou da 11º para o 8º maior reservatório do mineral no mundo.

Por causa da pequena produção interna, o Brasil importa cerca de 90% do potássio, principalmente do Canadá, da Rússia, da Alemanha, e de Israel.

O calcário é considerado uma das principais fontes de cálcio. Dados da ANM apontam que as reservas lavráveis de calcário no Brasil estão relativamente bem distribuídas pelos estados e, como em muitos países, representam centenas de anos de produção nos níveis atuais.

Ceará

Os Estados que mais se destacam são Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraná e Goiás, que juntos detêm quase 60% das reservas medidas de calcário do país, além de Mato Grosso, Bahia, São Paulo e Ceará.

O magnésio pode ser obtido, principalmente, por meio da exploração da dolomita, magnesita e dos sulfatos. Segundo a ANM, o Brasil tem extensos depósitos de magnesita na Bahia e também conta com reservas no Ceará.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *