Bolsonaro diz que economia está 100% nas mãos de Guedes

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 10 de outubro de 2019 as 11:35, por: CdB

Bolsonaro reforçou a independência de atuação do Banco Central sob seu governo, dizendo que o projeto de lei do governo para dar autonomia ao BC não fará “muita diferença”.

Por Redação, com Reuters – de São Paulo

O presidente Jair Bolsonaro reiterou nesta quinta-feira que o ministro Paulo Guedes é 100% responsável pela condução da economia brasileira e que não existe plano B, em discurso a empresários e autoridades na abertura do Fórum de Investimentos Brasil 2019, em São Paulo.

Em meio à crise política, Jair Bolsonaro disse que não há plano B na economia brasileira
Em meio à crise política, Jair Bolsonaro disse que não há plano B na economia brasileira

Bolsonaro também reforçou a independência de atuação do Banco Central sob seu governo, dizendo que o projeto de lei do governo para dar autonomia ao BC não fará “muita diferença”, porque a instituição já opera com autonomia.

– Eu só ligo para o presidente do Banco Central depois que ele decide o Copom – afirmou.

Privatizações deste ano são só aquecimento

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quinta-feira que a Petrobras está quebrando seus próprios monopólios e que as privatizações realizadas neste ano, que bateram meta que havia estabelecido previamente, são só aquecimento.

Ao falar em evento em São Paulo, Guedes voltou a avaliar que a inflação está caindo com a economia acelerando. O ministro também afirmou que o governo está acelerando reformas, privatizações e a abertura da economia.

Crise no PSL

Na quarta-feira o presidente Jair Bolsonaro minimizou a crise com o PSL e afirmou que “por enquanto” continua no partido.

– Por enquanto, eu continuo – afirmou ao sair do Palácio do Planalto e ser abordado por jornalistas.

– Não tem crise. Briga de marido e mulher, de vez em quando acontece. Tudo bem – acrescentou.

Apesar de negar a crise, o presidente recebeu nesta quarta, fora da agenda, um grupo de deputados do partido que tem formado uma dissidência contra o presidente da sigla, deputado Luciano Bivar.

Ao sair do encontro, os advogados Admar Gonzaga, ex-ministro do TSE, que tem atuado como conselheiro do presidente, e Karina Kufa, advogada pessoal de Bolsonaro, afirmaram que ele está “desconfortável” no PSL e acusaram o partido de falta de transparência.

Bolsonaro negou que tenha problemas com o partido.

– O problema não é meu, o pessoal quer um partido diferente, atuante. Este partido está estagnado – afirmou.

– Não tem crise, não tem o que alimentar. Não tem confusão nenhuma – afirmou.

Na terça-feira, o presidente ajudou a alimentar a crise que vem crescendo no PSL ao dizer a um apoiador, na frente do Alvorada, que esquecesse o partido e seu presidente, Luciano Bivar, que estaria “queimado”.

Agora, o presidente deu outra explicação para a questão.

– Falei para o garoto: ‘Esquece o PSL.’ Por quê? Ele é pré-candidato a vereador, se começar a falar em partido é campanha antecipada, isso que eu falei para ele – afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *