Bolsonaro é velho

Arquivado em: Destaque do Dia, Opinião, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 23 de maio de 2018 as 12:56, por: CdB

Claro que Bolsonaro, com seu discurso fascista, homofóbico, racista, belicista, contra os índios, antiambientalista, tem adeptos.

 

Por Chico Júnior – do Rio de Janeiro

 

Posso estar enganando, mas, sinceramente, não acho que Bolsonaro tem bala para chegar ao segundo turno na eleição presidencial deste ano. Quer dizer, bala ele tem; não tem é discurso.

Deputado Bolsonaro
Deputado Bolsonaro: fascista, racista e homofóbico

Os defensores de Bolsonaro, e ele próprio, teimam em apresentá-lo como o novo na política brasileira. Que novo é esse que está há 30 anos no parlamento e, nesse tempo todo, apresentou o que para o desenvolvimento da sociedade brasileira?

Claro que Bolsonaro, com seu discurso fascista, homofóbico, racista, belicista, contra os índios, antiambientalista, tem adeptos. A direita conservadora gostaria de vê-lo na Presidência mas, imagino eu, seus votos não são o suficiente para elegê-lo presidente.

Chumbo e ódio

Seu discurso fascista é velho, não tem nada de novo.

Não sei se, com esse discurso raivoso será capaz de conquistar a maioria dos votos da população brasileira. Tenho lá minhas dúvidas de que Bolsonaro possa resistir a uma campanha eleitoral, tendo como adversários cobras criadas como Ciro Gomes, Marina, Alckmin. E Lula, se for o caso.

Bolsonaro não tem estofo, nem gabarito, nem postura para encarar esses três.

Quando fala do Brasil, não propõe soluções para os nossos problema sociais e econômicos, por exemplo. Parece que só tem solução para a segurança, mesmo assim, propõe o “chumbo”, o ódio, o confronto entre os brasileiros.

Sua solução mais simples é meter chumbo, é combater a violência com mais violência. Ora, a história tem nos mostrado que esse caminho não leva a nada, não resolve o problema da violência. Nem aqui e em nenhum lugar do mundo.

De lavada

Como disse Ciro Gomes, o cara que nunca administrou um boteco pretende administrar um dos maiores países do mundo, só na base do discurso. Com que propostas?

Uma análise nas últimas pesquisas de opinião para eleição presidencial vê-se que Bolsonaro não está com essa bola toda. Com Lula no cenário, ele perde de lavada, tanto no primeiro quanto no segundo turno.

Sem Lula, e com  Marina, no primeiro turno, ele chega a 18% e Marina, a 13%. Mas olhem só a soma dos brancos, nulos e indecisos: 46%. No segundo turno, haveria um empate, com cerca de 28% para cada um. Vencedor: brancos, nulos e indecisos: 45%.

Quadro atual

Numa disputa com Ciro, no segundo turno: 28% a 24% . Brancos, nulos e indecisos: 47%.

Com Alckmin no segundo turno: 28 a 20%.  Brancos, nulos e indecisos: 42%.

Eu diria que, diante desse quadro, Ciro, Marina e Alckmin têm mais chances de ir para o segundo turno do que Bolsonaro. A chance do Bolsonaro ir para o segunto turno é que Lula seja realmente candidato. Nesse caso, os antilulas poderiam descarregar seus votos em Bolsonaro.

Chico Júnior é jornalista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *