Bolsonaro erra nome do Círio de Nazaré e aparece sem ser convidado

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado sábado, 8 de outubro de 2022 as 16:53, por: CdB

O ex-governador do Maranhão e eleito este ano para o Senado, Flávio Dino (PSB), disse que Bolsonaro é “um falso religioso, que nada conhece da fé cristã e nunca leu a Bíblia. Sírio é quem nasce na Síria. Círio de Nazaré. É que digo: é um falso religioso, que nada conhece da fé cristã e nunca leu a Bíblia”, escreveu.

Por Redação – de Belém

Candidato à reeleição, o presidente Jair Bolsonaro (PL) errou o nome de um dos maiores eventos religiosos do mundo, o Círio de Nazaré, que ocorre no Pará, onde compareceu sem ser convidado. O presidente chamou a manifestação religiosa de “Sírio de Nazaré” e foi alvo de chacota, nas redes sociais.

Bolsonaro,Círio de Nazaré
O presidente Jair Bolsonaro (PL) posou para fotos no Círio de Nazaré, onde apareceu sem ser convidado

O ex-governador do Maranhão e eleito este ano para o Senado, Flávio Dino (PSB), disse que Bolsonaro é “um falso religioso, que nada conhece da fé cristã e nunca leu a Bíblia. Sírio é quem nasce na Síria. Círio de Nazaré. É que digo: é um falso religioso, que nada conhece da fé cristã e nunca leu a Bíblia”, escreveu.

Ainda assim, Bolsonaro esteve na celebração católica acompanhado das deputadas Bia Kicis (PL-DF) e Carla Zambelli (PL-SP). O chefe do Executivo participou da Romaria Fluvial, embarcado no navio Garnier Sampaio, da Marinha, para um percurso na Baía do Guajará que dura cerca de três horas.

‘Penetra’

O Círio de Nazaré é um evento da Igreja Católica, sob a responsabilidade da Arquidiocese de Belém. Trata-se de uma “grandiosa manifestação de fé e devoção à Nossa Senhora de Nazaré”, segundo a arquidiocese que, em nota, afirma que não convidou o mandatário para o Círio de Nazaré. O comunicado diz não permitir o uso do evento para fins políticos.

“Comunicamos não ter havido nenhum convite da parte da Arquidiocese de Belém, nem da Diretoria da Festa de Nazaré, a qualquer autoridade, seja ao nível municipal, estadual ou federal. Entretanto, reconhecemos ser responsabilidade da Marinha do Brasil o acesso à referida embarcação”, resume o comunicado da Arquidiocese.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *