Bolsonaro expulsa seguidora que o questionou pelas mortes na pandemia

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 10 de junho de 2020 as 13:15, por: CdB

Nos últimos dias, Bolsonaro tem tentado se esquivar da responsabilidade pelas mortes causadas por suas atitudes e voltou a minimizar a pandemia. Depois de afirmar que a pior catástrofe sanitária em curso, no planeta, não passava de “uma gripezinha”, diz agora que “as mortes estão havendo no mundo todo, não apenas pela covid”.

Por Redação – de Brasília

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mandou que uma de suas seguidoras se retirasse do cercadinho mantido em frente ao Palácio da Alvorada, na manhã desta quarta-feira, depois que ela o questionou sobre as mais de 38 mil mortes causadas pelo novo coronavírus, no Brasil. Aborrecido, Bolsonaro mandou que ela fosse cobrar “do seu governador”.

Jair Messias Bolsonaro
Jair Messias Bolsonaro costuma saudar seus seguidores mas, nesta quarta-feira, acabou expulsando uma de suas eleitoras, que ousou reclamar das mortes pela covid

— Sai daqui — disse, alterado, à fã entre os seus apoiadores.

Nos últimos dias, Bolsonaro tem tentado se esquivar da responsabilidade pelas mortes causadas por suas atitudes e voltou a minimizar a pandemia. Depois de afirmar que a pior catástrofe sanitária em curso, no planeta, não passava de “uma gripezinha”, diz agora que “as mortes estão havendo no mundo todo, não apenas pela covid”.

— Nós temos hoje 38 mil mortos por causa da covid. E, assim, não são 38 mil estatísticas, são 38 mil famílias que estão morrendo nesse momento, que estão chorando. O senhor, como chefe da Nação, eu votei no senhor, fiz campanha para o senhor, acho até que o senhor me conhece. E eu sinto que o senhor traiu a nossa população — disse a eleitora que, no momento, não se identificou.

Rede social

Enquanto a seguidora reclamava que a população está morrendo, Bolsonaro ficou em silêncio e foi se afastando para passar a palavra a outros adeptos. Mas ela não parava de dizer da sua decepção com o presidente e ele disse para que ela se calar ou deixar o local.

— Se você quiser falar, sai daqui, já foi ouvido. Cobre do seu governador. Sai daqui — ordenou o presidente. Ela, no entanto, permaneceu no local, o cercadinho no qual os apoiadores costumam aguardar a saída do presidente da residência oficial.

Sem imaginar uma cena dessas, o momento em que Bolsonaro maltratava uma de suas próprias apoiadoras foi transmitido, ao vivo, no canal Cafezinho com Pimenta, em uma rede social, do militar reformado Winston Lima, aliado do presidente.

‘Abobrinha’

Ao perceber a gravidade do ato, Lima retirou o vídeo do ar apenas minutos depois, mas era tarde demais. O sargento aposentado, que é alvo da Polícia Federal (PF), no inquérito das fake news, no Supremo Tribunal Federal, também cancelou a transmissão que realiza com frequência em outro aplicativo

Depois de expulsar a seguidora, Bolsonaro voltou a minimizar as mortes causadas pela covid-19. Ele disse que os óbitos acontecem no mundo todo, e não apenas durante a pandemia.

— Aquela figura, falando abobrinha ali, vem usar uma coisa séria, as mortes, para fazer demagogia aqui, todos nós respeitamos e temos compaixão pelo pessoal que perdeu um familiar, não importa a circunstância. Mortes estão havendo no mundo todo, não é apenas a covid. Agora, querer culpar a mim… Tem muita gente morrendo de fome, depressão, suicídio, uma política feita apenas de um lado — concluiu o mandatário neofascista.

Assista ao vídeo: