Bolsonaro: fundo árabe pode ampliar os investimentos no Brasil

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 29 de outubro de 2019 as 14:41, por: CdB

“Mubadala é um dos dois grandes fundos soberanos dos Emirados Árabes Unidos. Intenção é investir em portos, estradas, mineração, imóveis e entretenimento”, disse.

Por Redação, com Reuter e ABr – de Brasília

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira, em publicação no Twitter, que o fundo de investimentos Mubadala, dos Emirados Árabes Unidos, vai ampliar os investimentos no Brasil, e citou portos, rodovias, mineração, imóveis e entretenimento como as áreas de interesse do grupo.

Bolsonaro está na Arábia Saudita, depois de passar por Cartar e Emirados Árabes Unidos
Bolsonaro está na Arábia Saudita, depois de passar por Cartar e Emirados Árabes Unidos

“Fundo bilionário dos Emirados elevará investimentos no Brasil”, disse Bolsonaro na publicação. “Mubadala é um dos dois grandes fundos soberanos dos Emirados Árabes Unidos. Intenção é investir em portos, estradas, mineração, imóveis e entretenimento”, acrescentou.

O Mubadala, com US$ 229 bilhões em ativos sob gestão, é o fundo soberano de Abu Dhabi, que faz parte dos Emirados Árabes Unidos, um dos países visitados por Bolsonaro durante viagem por países da Ásia e do Oriente Médio.

Bolsonaro está na Arábia Saudita, depois de passar por Cartar e Emirados Árabes Unidos. No Oriente Médio, o objetivo do presidente e sua comitiva de ministros é atrair os investidores, em especial para os projetos de concessões e privatizações do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Os países dessa região são donos de grandes fundos soberanos em busca de oportunidades em países emergentes. Eles também são grandes compradores de produtos do agronegócio brasileiro e compradores promissores de produtos de defesa.

Ainda nesta terça-feira,Bolsonaro se encontra com investidores, em jantar oferecido pelo príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman. Nesta manhã, em Riad, o presidente se reuniu com o presidente do Grupo Goldman, Sachs & Co, John Waldron.

Na quarta-feira, antes da viagem de volta ao Brasil, o presidente ainda deve participar de um fórum sobre investimentos futuros. A previsão é que ele chegue na quinta-feira pela manhã em Brasília. O presidente viajou no dia 19 e passou por cinco países da Ásia e Oriente Médio: Japão, China, Amirados Árabes Unidos, Catar e, por último, a Arábia Saudita.

Príncipe suspeito de envolvimento na morte de jornalista

Em entrevista à jornalistas, Bolsonaro foi além ao falar das reuniões com o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman. O presidente neofascista disse à repórteres que todas gostariam de passar uma tarde com MBS.

– Todo mundo gostaria de passar uma tarde com um príncipe, principalmente vocês, mulheres, né? – perguntou.

O príncipe é suspeito, ao lado de outras autoridades sauditas, de envolvimento com o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, segundo um relatório produzido por uma investigadora da Organização das Nações Unidas (ONU).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *