Bolsonaro manda e emissora acata ordem para afastar um de seus apresentadores

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 28 de maio de 2019 as 16:44, por: CdB

Villa, porta-voz da extrema-direita no processo que desaguou no golpe contra a presidenta deposta Dilma Rousseff (PT), em 2016, saiu do tom contra Bolsonaro. O apresentador foi afastado, nesta terça-feira.

 

14h42 – de São Paulo

 

Aplaudido pela direita e a extrema direita, o alto conceito do apresentador da Jovem Pan Marco Antonio Villa não foi suficiente para mantê-lo no emprego. Pressões do Palácio do Planalto junto à direção da emissora, que nega a informação da mídia especializada, teriam levado ao seu afastamento, nesta terça-feira. O fato ocorre após severas críticas de Villa à gestão do atual presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), e simpatizantes do governo. Entre os apoiadores atingidos pelas críticas estão Ernesto Araújo (Relações Exteriores), e o astrólogo Olavo de Carvalho, guru de Bolsonaro.

Villa, comentarista de extrema direita da Rádio Jovem Pan, foi atingido por um petardo bolsonarista
Villa, comentarista de extrema direita da Rádio Jovem Pan, teria sido atingido por um petardo bolsonarista

Villa, porta-voz da extrema-direita no processo que desaguou no golpe contra a presidenta deposta Dilma Rousseff (PT), em 2016, saiu do tom contra Bolsonaro. Uma das críticas do apresentador ao governo aconteceu em março, quando o jornalista rechaçou a ideia de liberar o acesso ao Brasil de norte-americanos sem visto. Nesta manhã, Villa evitou dizer que Bolsonaro teria, diretamente, influído no seu afastamento por 30 dias.

— Não sei se volto após esse período — disse.

Irresponsabilidade

Villa também não poupou o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente, para quem brasileiro que migra ilegalmente para os Estados Unidos é uma vergonha.

— A questão do visto. Sem reciprocidade? Quer dizer que (norte-)americano entra no Brasil sem visto e o brasileiro (não pode fazer o mesmo)? Aí, o presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara, Eduardo Bolsonaro, diz que o brasileiro que é imigrante clandestino nos EUA é uma vergonha. Vergonha é você, Eduardo, que põe boné do Trump. Você é uma vergonha, não o brasileiro que vai lá trabalhar. É inacreditável a irresponsabilidade — protestou Villa.

O apresentador também já afirmou que o chanceler Ernesto Araújo está a serviço de uma potência estrangeira.

— Quando eu falo de política externa, penso no nosso Brasil. A recuperação econômica não pode ser prejudicada pela irresponsabilidade de uma política externa a serviço de interesses antinacionais e que coloquem em risco a segurança do Brasil — disse ele em comentário publicado no site da emissora no dia 14 deste mês.

Matéria atualizada nesta quarta-feira, 29 de maio de 2019, às 11h50.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *