Bolsonaro volta a circular por Brasília, limpa o nariz e aperta a mão de seguidor

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 10 de abril de 2020 as 16:31, por: CdB

O presidente, que se posiciona contra o isolamento alegando que os impactos econômicos serão piores do que o próprio coronavírus, esteve primeiro no Hospital das Forças Armadas.

Por Redação – de Brasília

O presidente Jair Bolsonaro voltou a circular por Brasília na manhã desta sexta-feira, provocando aglomeração de pessoas e cumprimentando apoiadores, mesmo depois de limpar o nariz e não limpar a mão. O mandatário neofascista não respeita as regras de isolamento social determinadas pelo governo do Distrito Federal e defendidas por especialistas de saúde para conter a disseminação do coronavírus.

Bolsonaro, no meio de uma aglomeração, cumprimenta os seguidores com a mão suja de secreção do nariz
Bolsonaro, no meio de uma aglomeração, cumprimenta os seguidores com a mão suja de secreção do nariz

O presidente, que se posiciona contra o isolamento alegando que os impactos econômicos serão piores do que o próprio coronavírus, esteve primeiro no Hospital das Forças Armadas, depois foi a uma farmácia e em seguida visitou um dos filhos em um prédio residencial, de acordo com veículos de comunicação que acompanharam Bolsonaro nesta manhã.

Em uma das paradas, o presidente cumprimentou apoiadores que se aglomeraram para saudá-lo, mostraram as imagens, mas algumas pessoas também criticaram Bolsonaro por estar nas ruas e bateram panelas, como tem ocorrido sempre que o presidente faz pronunciamentos em cadeia nacional.

Isolamento

Na véspera, Bolsonaro já havia descumprido as regras de isolamento social ao ir até uma padaria e abraçar apoiadores que se reuniram para cumprimentá-lo.

Diante das críticas de Bolsonaro às medidas de isolamento social, e do próprio comportamento do presidente, governadores têm alertado a população que poderão reforçar as restrições uma vez que afirmam que está havendo queda de adesão da população às quarentenas.

Dados desta semana analisados pela agência inglesa de notícias Reuters apontaram que o isolamento social imposto nas maiores cidades brasileiras contra a epidemia está começando a perder força.