Bombeiros combatem incêndio em duas áreas da Pedra da Gávea

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 23 de agosto de 2021 as 11:29, por: CdB

Na madrugada desta segunda-feira, às 2h, houve mais um acionamento. A área de difícil acesso atrapalhou o trabalho dos bombeiros, que não tiveram condição de chegar nem com uso de helicópteros.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

Equipes de operações aéreas não tripuladas do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro fizeram nesta segunda-feira o monitoramento com drones para identificar se ainda há focos na área da Pedra da Gávea, administrada pelo Parque Nacional da Tijuca, na zona sul da cidade, que foi atingida por um incêndio no domingo.

Não há ainda uma avaliação da área atingida

O acionamento dos bombeiros no domingo foi feito às 8h25. Por causa do difícil acesso, os bombeiros tiveram que usar helicópteros para chegar ao local do incêndio, o que ocorreu às 10h12.

Os trabalhos por lá foram finalizados às 17h27 de domingo, mas às 19h30 os bombeiros voltaram à Pedra da Gávea, na parte virada para a Barra da Tijuca, na Zona Oeste, e novamente constataram difícil acesso. Na madrugada desta segunda-feira, às 2h, houve mais um acionamento. A área de difícil acesso atrapalhou o trabalho dos bombeiros, que não tiveram condição de chegar nem com uso de helicópteros. Nesta manhã, às 7h, começou o monitoramento por drones, para facilitar a identificação de focos. Não há ainda uma avaliação da área atingida na Pedra da Gávea.

Queda de balão

Os bombeiros tiveram a ajuda de brigadistas do Parque Nacional da Tijuca. A suspeita é que o fogo tenha sido provocado por queda de balão.

Já no Itanhangá, na Zona Oeste do Rio, do outro lado da Pedra da Gávea, os bombeiros do quartel do Joá, bairro também da Zona Oeste, estão trabalhando no local,  para onde foram chamados às 4h36 desta segunda-feira. Às 6h06, as equipes informaram que o incêndio tinha sido controlado e descartaram perigo de atingir as residências próximas. O trabalho continua, porque ainda há pequenos focos na área. Não há registro de vítimas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code