Bombeiros iniciam perícia sobre incêndio na Usina de Belo Monte

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 12 de fevereiro de 2019 as 11:39, por: CdB

De acordo com o comandante, havia outro depósito de material inflamável nas proximidades, mas o fogo foi controlado a tempo e o risco de disseminação do incêndio foi afastado nos primeiros instantes.

Por Redação, com ABr – de Brasília

O Corpo de Bombeiros Militar do Pará em Altamira está aguardando o pedido formal do Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM) para iniciar as investigações sobre o incêndio que atingiu um galpão da usina no fim da tarde de ontem. À Agência Brasil, o comandante do batalhão, tenente-coronel Valtencir da Silva Pinheiro, informou que a perícia no local deve durar um dia, mas as conclusões só serão divulgadas no fim do mês.

Mais de 20 bombeiros trabalharam por quase seis horas no combate ao incêndio

– A conclusão da perícia leva em torno de 15 dias. Mas não era uma área grande. Agora, estamos aguardando eles formalizarem a solicitação e temos que esperar esfriar o ambiente para os levantamentos necessários – disse.

Mais de 20 bombeiros trabalharam por quase seis horas no combate ao incêndio. O  9º Grupamento foi acionado pouco antes das 18h de segunda-feira e encerrou a operação por volta da 1h. O galpão, de cerca de 70 metros de comprimento, segundo os bombeiros, funcionava como depósito de material combustível.

De acordo com o comandante, havia outro depósito de material inflamável nas proximidades, mas o fogo foi controlado a tempo e o risco de disseminação do incêndio foi afastado nos primeiros instantes. Enquanto bombeiros militares combatiam o fogo dentro do galpão, funcionários da brigada mantida pela empresa no local atuaram na área externa.

– Internamente, na área das chamas, apenas os bombeiros podem atuar, eles têm caminhões e equipamentos de apoio de menor porte. A brigada atuou de imediato e, graças a isso, todo mundo foi retirado do local assim que o incêndio começou. Ninguém ficou ferido – afirmou o tenente-coronel.