Boris Johnson busca voto parlamentar antes do Natal para ‘resolver o Brexit’

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado domingo, 15 de dezembro de 2019 as 14:10, por: CdB

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson vai “resolver o Brexit” até 31 de janeiro e fazer um novo acordo comercial com a União Europeia até o fim de 2020.

Por Redação, com Reuters – de Londres

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson vai “resolver o Brexit” até 31 de janeiro e fazer um novo acordo comercial com a União Europeia até o fim de 2020, disse o ministro Michael Gove, neste domingo, prometendo entregar a principal prioridade do governo.

Primeiro-ministro britânico Boris Johnson
Primeiro-ministro britânico Boris Johnson

Johnson e sua equipe estavam triunfantes semana passada quando ele venceu uma maioria de 80 assentos em uma eleição antecipada que ele afirma ter sido forçado a convocar para quebrar o impasse do Brexit. Tendo arrebatado muitos eleitores tradicionais dos Trabalhistas no norte e na região central da Inglaterra, Johnson proclamou que liderará o “governo do povo”.

Primeiro, o líder Conservador precisa entregar sua promessa de “resolver o Brexit” e depois se voltar a outra prioridade -aumentar o financiamento do muito amado serviço de saúde pública do Reino Unido, iniciativa que ele planeja consolidar em lei.

– Posso confirmar que teremos uma oportunidade de votar o projeto de Acordo de Retirada em um prazo relativamente curto e garantiremos que o passaremos antes de 31 de janeiro – disse Gove à Sky News.

Acordo

Questionado sobre um novo acordo comercial com a União Europeia, Gove disse: “Será concluído ano que vem. Estaremos em uma posição de sair da UE antes de 31 de janeiro do ano que vem e depois concluiremos nossas conversas com a UE sobre a nova estrutura de livre comércio e cooperação amigável que teremos com eles até o fim do ano que vem.”

O principal negociador da UE, Michel Barnier, gerou dúvidas em relação à velocidade com que as discussões comerciais serão concluídas, dizendo mês passado que as negociações seriam “difíceis e exigentes” e alertando o Reino Unido que o bloco “não tolerará vantagens competitivas injustas”.

Johnson, que comemorou sua vitória visitando Sedgefield, antigo bastião Trabalhista que já foi o distrito parlamentar do ex-primeiro-ministro Tony Blair mas votou nos Conservadores desta vez, delineará seu planejamento na quinta-feira, em um Discurso da Rainha.

Rishi Sunak, vice-ministro de Finanças, disse que o governo pretendia reenviar a lei do Acordo de Retirada ao parlamento para ratificação antes do Natal, permitindo que os ministros comecem a trabalhar em outras prioridades, como “elevar o nível” do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *