Boxeadora iraniana cancela retorno ao país após mandado de prisão

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 17 de abril de 2019 as 12:36, por: CdB

A participação das mulheres iranianas em eventos esportivos é fortemente restrita, embora as autoridades estejam começando a ceder em algumas áreas após anos de campanhas pressionadas por grupos de direitos das mulheres.

Por Redação, com Reuters – de Paris

A primeira iraniana a disputar uma luta oficial de boxe cancelou os planos de voltar para casa depois que um mandado de prisão foi emitido contra ela em Teerã, disse sua representante nesta quarta-feira, mas autoridades iranianas negaram a informação.

Pugilista iraniana Sadaf Khadem durante luta contra francesa Anne Chauvin em Royan, na França

Sadaf Khadem venceu a pugilista francesa Anne Chauvin em uma luta que ocorreu no oeste da França no último sábado.

Sua representante, Clara Dallay, disse à agência inglesa de notícias Reuters que autoridades iranianas emitiram mandados de prisão contra a lutadora e o organizador de lutas Mahyar Monshipour.

Monshipour, campeão mundial de boxe nascido no Irã e atual cidadão francês, organizou a luta após o Irã permitir que as mulheres lutassem.

Hossein Soori, chefe da Federação de Boxe do Irã, negou que Khadem seria presa, atribuindo a informação à “mídia ligada à Arábia Saudita”.

– A Sra. Khadem não é membro dos atletas organizados (do Irã) para o boxe e, do ponto de vista da Federação de Boxe, todas as atividades dela são pessoais – disse ele à agência de notícias semioficial Isna.

A participação das mulheres iranianas em eventos esportivos é fortemente restrita, embora as autoridades estejam começando a ceder em algumas áreas após anos de campanhas pressionadas por grupos de direitos das mulheres.

A federação agora permite que as mulheres se registrem para lutar, desde que sejam treinadas por uma mulher e usem o hijab islâmico enquanto competem.

Conor McGregor

O lutador irlandês de MMA Conor McGregor disse no mês passado que está se aposentando do esporte, cinco meses depois de perder para Khabib Nurmagomedov em uma disputa de título polêmica em Las Vegas que provocou uma briga e uma suspensão de seis meses.

O lutador de 30 anos, que tem um currículo de 21 vitórias e 4 derrotas, ainda está suspenso pela Comissão Atlética Estadual de Nevada por seu envolvimento no confronto que irrompeu após a luta com o russo em outubro.

Essa é a segunda vez em que McGregor anuncia no Twitter que “se aposentou”. Um mês depois de perder para Nate Diaz, em março de 2016, ele disse que havia decidido “se aposentar jovem”, mas voltou aos ringues para derrotar o mesmo oponente mais tarde no mesmo ano.

– Ei, gente, anúncio rápido, decidi me aposentar do esporte formalmente conhecido como ‘Artes Marciais Mistas’ hoje – disse McGregor em sua conta oficial de Twitter.

– Desejo o bem a todos os meus colegas que continuam competindo. Agora me uno a meus ex-parceiros neste empreendimento, já aposentado.

Nascido em Dublin, McGregor sempre se envolveu em controvérsias durante sua carreira turbulenta.

Em abril de 2018 ele recebeu três acusações de agressão e uma de delito criminoso depois que a polícia disse que ele atacou o motorista de um ônibus fretado que transportava lutadores de UFC em Nova York.

Ele se declarou culpado de conduta desordeira, uma violação que não resultaria em uma ficha criminal.

No início deste mês, McGregor foi preso na Flórida depois de quebrar o celular de um fã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *