Brasil defenderá preservação das baleias pelo turismo na Alemanha

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado domingo, 15 de junho de 2003 as 15:58, por: CdB

Começa nesta segunda-feira, em Berlim, a sessão plenária da 55ª Reunião Anual da Comissão Internacional da Baleia (CIB). O encontro segue até quinta. A delegação brasileira é chefiada pelo conselheiro Hadil da Rocha Vianna, comissário do Brasil na CIB.

O presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis(Ibama), Marcus Barros, integra o grupo, junto com técnicos do órgão.

Entre os temas de maior interesse para o Brasil, encontra-se a estratégia de fortalecer a pauta conservacionista da Comissão, o que será objeto de projeto de resolução específico.

Originalmente idealizado pelo México, tal projeto deverá contar com o apoio dos países contrários à retomada da caça às baleia.

O Brasil, que integra esse grupo de países, vai defender o reconhecimento formal, por parte da CIB, da legitimidade da utilização não-letal dos recursos baleeiros (turismo de observação de baleias, pesquisa científica sem abate, utilização não-alimentar dos cetáceos, entre outros).

Defenderá também a abertura e redirecionamento do Comitê Científico para a pesquisa não-letal, a instituição de um fundo para atender essas demandas, e as referências a ameaças ao meio ambiente e estudos sobre comportamento de baleias.

Mais especificamente sobre o turismo de observação de baleias, o Comitê Científico da Comissão apresentará seu plano de trabalho sobre o assunto, que deverá se referir, entre outros temas, à eficácia de normas e regulamentos nacionais, bem como à obtenção e gerenciamento de dados.

O Brasil considera essa forma de turismo uma atividade econômica comprovadamente responsável por ingressos tão ou mais significativos do que os do comércio de produtos e subprodutos da caça.

Em Berlim, o Brasil, em co-autoria com a Argentina, reapresentará à CIB proposta de estabelecimento de um santuário para proteção de baleias no Atlântico Sul. Em 14 de maio último, os Ministérios do Meio Ambiente e das Relações Exteriores promoveram, em Brasília, a apresentação da proposta aos setores interessados da sociedade.

Além de técnicos e de representantes das principais ONGs envolvidas com a conservação de grandes cetáceos no Brasil, o evento contou com a presença de diversos representantes do corpo diplomático.

A Ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, e o presidente do Ibama, Marcus Barros, participaram da apresentação, conferindo seu apoio e evidenciando a importância da proposta, no contexto das iniciativas em favor da conservação da fauna brasileira.