Brasil e França fazem parceria para gestão ambiental

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quarta-feira, 9 de abril de 2003 as 09:42, por: CdB

Brasil e França aprovaram, no último dia 4, no Amapá, a proposta de criação de um grupo de trabalho para ajudar o governo francês a implantar, na Guiana Francesa, região fronteiriça com o Brasil, uma unidade de conservação. A área, em torno de 3 milhões de hectares, será, praticamente, a extensão do Parque Nacional das Montanhas do Tumucumaque, que, com 3,8 milhões de hectares, é a maior unidade de conservação do mundo em região de floresta tropical.

A França conta com a experiência brasileira junto às comunidades que vivem no parque, para a criação de áreas protegidas. Mas os dois países pretendem, ainda, fomentar a cooperação de desenvolvimento do ecoturismo na região. A idéia é, no futuro, envolver, também, o Suriname nesse projeto e transformar a região em um grande corredor de ecoturismo. Segundo Mary Allegretti, “a implantação de um programa de ecoturismo na Amazônia só terá sucesso se houver cooperação com a Guiana”. Brasil e França planejam ainda fazer investimentos conjuntos para aumentar o fluxo de turistas.

Participaram da reunião a ministra de Ecologia e do Desenvolvimento Sustentável da França, Roselyne Bachelot Narquin, a secretária de Coordenação da Amazônia, do Ministério do Meio Ambiente, Mary Allegretti, representando a ministra Marina Silva, e o Chefe do Departamento de Meio Ambiente do Ministério das Relações Exteriores, Everton Vargas.

Marina Silva não compareceu ao encontro para sobrevoar a área atingida por um vazamento de lixo tóxico, nos rios Pomba e Paraíba do Sul, nos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro. A pedido dela, porém, a ministra francesa fez uma rápida apresentação da estratégia nacional de desenvolvimento sustentável da França que adotou a transversalidade como diretriz de sua política ambiental, exatamente, como a ministra Marina Silva pretende implantar no Brasil.