Brasil luta por vagas olímpicas na Copa do Mundo de Saltos Ornamentais

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 30 de abril de 2021 as 13:09, por: CdB

A seleção brasileira de saltos ornamentais iniciou nesta sexta-feira sua busca pelas primeiras vagas olímpicas da modalidade na Copa do Mundo, em Tóquio (Japão). No evento, que vale como Pré-Olímpico dos Santos Ornamentais, estarão oito atletas que se classificaram em fevereiro na seletiva nacional, no Rio de Janeiro.

Por Redação, com ABr – de Tóquio

A seleção brasileira de saltos ornamentais iniciou nesta sexta-feira (30) sua busca pelas primeiras vagas olímpicas da modalidade na Copa do Mundo, em Tóquio (Japão). No evento, que vale como Pré-Olímpico dos Santos Ornamentais, estarão oito atletas que se classificaram em fevereiro na seletiva nacional, no Rio de Janeiro. As disputas da Copa do Mundo ocorrerão até o dia 5 de maio.

Evento que vale como Pré-Olímpico começou em Tóquio

A delegação brasileira conta com Ingrid Oliveira, Giovanna Pedroso, Anna Lucia Santos, Luana Lira, Ian Matos, Isaac Souza, Kawan Pereira e Luis Felipe Moura. As disputas da competição em Tóquio, serão na mesma piscina em que ocorrerão as prova olímpicas.

Após a seletiva no Rio, o Brasil foi campeão sul-americano, em Buenos Aires (Argentina). Um dos destaques da competição foi Giovanna Pedroso, que busca a classificação para a segunda Olimpíada na carreira.

– Da seletiva para o Sul-Americano já consegui ter um ganho e do Sul-Americano para cá também tive uma melhora. Então a expectativa é a melhor possível para conseguir essa vaga olímpica que é meu maior sonho – disse a atleta de 22 anos em depoimento ao site da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA).

Vaga olímpica

Para assegurar a vaga olímpica, os brasileiros precisam ficar entre os 18 primeiros colocados na disputa individual e, na sincronizada, estar nas três primeiras posições ao final da competição.

– Para classificar para os Jogos Olímpicos, depende da competição que eles [atletas] vão fazer aqui. Caso fosse um índice, seria um pouco mais fácil, mas, como é uma colocação, é mais complicado. Vamos fazer nossa parte e trazer essas vagas para o Brasil – afirmou Ricardo Moreira, chefe da equipe brasileira e diretor de saltos ornamentais da CBDA.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code